Tião Abatiá e Marcelo em 2009 durante a primeira entrevista

 

TIÃO ABATIÁ, ex-centroavante do Cambará Atlético Clube-PR, União Bandeirante-PR, São Paulo-SP, Coritiba-PR, Portuguesa de Desportos-SP e Colorado-PR.


 

 

 

Tião Abatiá à esquerda em 1971 e à direita em 2009.

 

 

 

 

 

 

Sebastião José Ferri, o Tião Abatiá nasceu no dia 20/01/1945 na cidade de Abatiá no Estado do Paraná.

 

 

Tião iniciou sua carreira jogando em Abatiá, e em 1958 foi estudar em Jacarezinho no excelente Colégio Cristo Rei, onde conta que tinha uma grande estrutura já na época para os garotos jogarem futebol, com uniformes completos para jogarem nas categorias: mirim, infantil e juvenil.

Abaixo Tião Abatiá com o time de garotos em Abatiá

tiaoabatiaaindagarotoemabatia

 

E foi no colégio Cristo Rei que Tião conta ter tido seu grande início no futebol e muito bem preparado.


Houve uma ocasião em que ele nunca esquece, pois o Flamengo do Rio veio jogar em Jacarezinho contra o time do Londrina no dia 3/04/1960, que jogou com a camisa da Esportiva de Jacareziho, e o resultado Flamengo 3 x 2 Londrina.

Os gols do Flamengo foram marcados por: Gerson (2) e Moacir.


O jogo era para inauguração da iluminação do Estádio, e Tião Abatiá e os amigos do Colégio Cristo Rei fizeram a preliminar antes da partida principal, onde os garotos deram um verdadeiro show, e Tião lembra de já ter marcado gol no jogo, e quem também jogou foi o amigo de Cornélio Procópio Torquato Ducci, que mais tarde seria Campeão Paranaense em 1961 com o Esporte Clube Comercial de Cornélio Procópio.

Abaixo o Time do Colégio Cristo Rei, onde Tião Abatiá aparece agachado, sendo o segundo da direita para a esquerda, segurando a flamula do Colégio Cristo Rei

tiaoabatianocolegiocristorei1

 
E depois da partida foram convidados pelo diretor do flamengo para ir jogar no Rio, queriam levar o time todo. Não foram porque as famílias dos meninos de 13 e 14 anos não deixaram.


Tião virou torcedor do Flamengo naquela oportunidade, pois era a primeira vez que tinha visto um time grande de futebol jogar.


Lembra que jogaram pelo Flamengo jogadores como: Moacir, Henrique, Gerson, Dida e Babá.

 

Tião esta é a foto do Flamengo em que você me descreveu o ataque, porém não é a foto do jogo em Jacarezinho, mas é mais ou menos na mesma época, em 1959 em que o Flamengo venceu o Guarani de Ponta Grossa por 5 X 2 e o Flamengo deu um show, com 2 gols de Henrique e 3 de Dida.

Esta foto foi retirada do Livro O Bugre Princesino do grande amigo de Marcelo Dieguez, o Grande Historiador José Cação Ribeiro Júnior que tem um imenso arquivo de fotos de futebol mundial.

Foram cedidas pelo amigo Cação.

Obrigado Cação!!

 

 

 

O Flamengo venceu e de goleada, e foi um privilégio ver aquele jogo, pois tinham jogadores Campeões Mundiais com a Seleção Brasieira em 1958, como o Moacir e o Dida.


No time da Esportiva de Jacarezinho Tião era fã incondicional de Sirlei, que também jogava com Pisca, os goleiros Maurício e Muca.


Ficou estudando no Colégio Cristo Rei de 1958 a 1963, ou seja dos 13 até os 18 anos de idade.


Aí voltou para Abatiá, onde voltou a jogar no time de Abatiá, e depois no time de Ribeirão do Pinhal.


Até que em 1965 foi jogar no Cambará Atlético Clube, que foi um time que surgiu da fusão de 2 times em 1963: o Clube Atlético Operário e a Associação Atlética Cambaraense, que já havia sido Vice-Campeã Paranaense em 1953 e Bi-Campeã do Norte Velho em 1962/1963.


Tião diz que deve muito ao Cambará Atlético Clube, pois fez muitos gols lá e foi onde se profissionalizou.

 

E no Cambará jogou com jogadores, como o goleiro Bigode, Mané, Sinésio, Zé Carlos, Adauto, Sorocaba, Cláudio, Benê, Ariston, Chuvisco (ponta-esquerda que jogou no Comercial de Cornélio Procópio e no Londrina), Bira e Gasolina.


Em 1966 foi para o União Bandeirante que era o caçula do Paraná e já tinha muitas estrelas, e encontrou o Paquito que logo se tornariam grandes amigos.


A dupla do união na época era Carlinhos e Paquito, e Tião penou 1966 e um pedaço de 1967 no banco.


E foi então que em um jogo contra o Jandaia de Kosilek, Carvalho e Servílio, aconteceu de o técnico De Sordi chamar Tião para entrar aos 43 minutos do primeiro tempo para entrar no lugar de Carlinhos, e a primeira bola que pegou fez o gol.


E já no segundo tempo saiu com uma bola do meio campo driblando todos e fez outro gol e nunca mais saiu do time, fazendo logo a dupla com Paquito, e por azar de Carlinhos que depois não pegou mais o lugar de Tião.


Na foto do União Bandeirante, nº 100, o time está assim:
 
Pescuma, Laércio, Carlos Roberto, Geraldo Roncatto, Tião Macalé e Serafim.
Nondas, Paquito, Tião Abatiá, Celso e Russinho.

 

 Abaixo o União Bandeirantes Vice-Campeão Paranaense em 1969

 

 

 

Abaixo o time do União Bandeirtante de 1969


 

 

 

 

Aqui o time do União Bandeirante Vice-Campeão Paranaense de 1969

Foto=www.historiadordofutebol.com.br

 

 

 

 

 

 

 

União Bandeirante Vice-Campeão em 1969.

Em Pé:Machado,Laércio,Geraldo,Josué,Celso e Serafim.

Agachados: Tião Abatiá, Carlinhos, Paquito, Charuto e Zé Luiz

 

 

Á foto é do ano 1971 em branco e preto, vice campeão, placar união 1x1 coritiba.

Local da Final: Estadio Comendador Luiz Meneguel.

Gols Zé Roberto para o Coritiba e Paquito para o União.

 
Em pé Nelson Santos, Paulo A Meneguel, Mão de Onça, Rosan, Carlos Roberto, Sílvio, Célton, Geraldo, Cesco, Rubens, Celso, Sérginho, Desordi supervisor, Pupo Gimenez  técnico,{ Euclides}, Agenor e Serafim Meneguel vice presidente,

Agachados:Chininha, Nondas, Coité, Paquito, Tião Macalé, Tião Abatiá, Russinho, Óro, Gel, China, e Vicente Massagista.

 

 

 

Abaixo outra foto de 1971

 tiaoabatianouniaobandeirante1

 

 

E Tião e Paquito disputaram a artilharia dos Campeonatos de 1968, 1969, 1970 e o de 1971 dentro do mesmo time.


Em 1968 e em 1969 Paquito foi artilheiro e Tião vice, e nos anos de 1970 e 1971 Tião foi o artilheiro e Paquito vice.

 

Aqui Tião Abatiá no União Bandeirante artilheiro de 1970.

 
Conta que já em 1976, quando Tião já no Colorado e Paquito no Grêmio de Maringá disputavam novamente a artilharia do Paranaense, e os 2 estavam empatados com 24 gols até na última rodada do Campeonato, e na última partida do Campeonato Paquito fez o dele e foi artilheiro.


Os 2 são grandes amigos e compadres, e sobre a artilharia de 1976 Paquito conta que tira sarro em Tião até hoje, mas Tião conta que levava Paquito nas costas o Campeonato inteiro.


Eles brincam muito com as histórias do futebol da dupla caipira até hoje.


Gostava de jogar na época de União contra o Londrina, Grêmio Maringá, e também Atlético e Coritiba.


Nunca perdeu para o Coritiba em sua época de União Bandeirante.


Em janeiro de 1971 foi para o São Paulo onde ficou 4 meses, mas na época o futebol do Paraná não era muito conhecido, e o São Paulo queria comprá-lo, Osvaldo Brandão era o técnico, mas o preço que o União queria era mais ou menos o passe do Rivelino, e acabou não sendo emprestado mais.


Voltou para o União e disputou o Paranaense, sendo artilheiro do Campeonato em 1971.

Tião e a camisa alviverde do Coxa combinaram como nunca

Foto do site parana-online.com.br.

 

 
E o coritiba veio buscá-lo, junto com Paquito de avião, e o Coritiba vinha mal no Campeonato Brasileiro e o próximo jogo seria contra a Portuguesa de Desportos, e a imprensa já estava lá esperando eles.


Chegaram na quarta-feira, e já foram treinar na quinta, sexta e no sábado, e sendo badalados como artilheiro e vice-artilheiro do Paranaense de 1971, além dos anos anteriores.


Só dava os 2 nos jornais, e no dia do jogo os 2 com uma sorte tremenda, entraram como titulares na partida, onde ganharam o jogo e Tião fez o primeiro e Paquito fez o segundo e no outro dia só dava a dupla caipira nos jornais.

Abaixo os gols de Paquito e Tião Abatiá em 1971 na estréia da dupla junta no Coritiba, deram conta do recado.

Vídeo publicado pelos Helênicos de Curitiba.


A dupla caipira correspondeu sendo que foi um dos jogos inesquecíveis da carreira de Tião Abatiá e também do Paquito.

A Bola de Prata de 1971 e ao fundo Tião Abatiá em 2009.

 
Naquele mesmo ano Tião ganhou o Troféu Bola de Prata de 1971 do Campeonato Brasileiro, em que a revista placar anunciou ele como o melhor centroavante do campeonato, entre os 11 melhores de todas as poisções.

A placa com as inscrições no Troféu Bola de Prata de Tião Abatiá.

 

Aqui Tião ao lado de sua Bola de Prata e dando um autógrafo para o amigo Marcelo Dieguez, que também levou 2 livros do Flamengo para ele relembrar o time do Flamengo que assistiu jogar em Jacarezinho e também ver a súmula do jogo em que marcou um gol no Flamengo de Ubirajara Alcântara em 1971. Os livros são: Almanaque do Flamengo de Roberto Assaf e Clóvis Martins, e o outro é O Vermelho e o Negro de Ruy Castro.

 


Voltando em 1971, quando o Santos foi jogar em Curitiba, todos foram ao jogo para ver Pelé jogar, mas quem fez o gol da vitória e brilhou foi Tião.


Aqui vemos Tião e Pelé em 1971, esta foto foi tirada do quadro de Tião Abatiá em sua casa em Ribeirão do Pinhal, quando Marcelo Dieguez foi visitar Tião em 2009.

tiaoabatia1

 

 E o Santos, que foi derrotado no então Belfort Duarte por 1 a 0, gol de Tião Abatiá no goleiro Cejas.

Num rush espetacular, Tião Abatiá deixou Ramos Delgado e Lima para trás e tocou para a rede na saída do argentino Cejas.

 

 Aqui Tião Abatiá comemora o golaço que fez em cima do Santos de Pelé em 1971 pelo Campeonato Brasileiro.

 

Aqui novamente Pelé e Tião Abatiá já em 1972 antes do jogo com o mascotinho do Coxa.

Foto do excelente arquivo dos HELENICOS e que está também no site panoramio.com, e no coxanautas.com.br

 

 
Também no Rio fez gol no Flamengo no Maracanã em um empate que Rodrigues Neto assinalou para o Flamengo, e o goleiro do rubro-negro era o Ubirajara Alcântara.


O lance inesquecível na brilhante história de Abatiá

Em outro jogo contra o Atlético Mineiro do artilheiro Dadá Maravilha, ele brilhou novamente.

Dadá Maravilha Campeão Brasileiro pelo Atlético Mineiro e Tião Abatiá o melhor centroavante e dono da bola de prata em 1971.

Foto do arquivo dos HELENICOS e do site coxanautas.com.br

 

Dois de outubro de 1971.

Coritiba e Atlético Mineiro se enfrentam e o Coxa vence por 1x0, gol de Paquito.

Aos 45 minutos do segundo tempo, Paquito lança Abatiá na área.

Ele domina a bola, na pequena área, finta Vantuir, Grapete e o goleiro Renato por duas vezes.

Abatiá cruza para a área e Leocádio, outro super-craque da época, cabeceia sozinho, mas por cima do gol.

Toda a torcida do Coritiba presente no Couto Pereira levanta e aplaude de pé a jogada do “Super Abatiá”, que inclusive foi usada por anos na abertura dos programas esportivos de todo o país.


E o Santos, que igualmente foi derrotado no então Belfort Duarte por 1 a 0, gol de Tião Abatiá no goleiro Cejas.

Num rush espetacular, Tião Abatiá deixou Ramos Delgado e Lima para trás e tocou para a rede na saída do argentino Cejas.

Em outro jogo inesquecível, Tião e Abatiá e Paquito fazem gols na vitória de virada contra o Corínthinas em 1971.

Vídeo dos gols da partida publicado pelos Helênicos de Curitiba..

Atuações de Tião Abatiá pelo Coritiba

Torneio / Ano

Brasileiro / 1971
Jogos: 23
Gols: 09

Campeonato Paranaense / 1972
Jogos: 33

Gols: 20

Brasileiro / 1972
Jogos: 12
Gols: 03

 

Excursão / 1972
Jogos: 06
Gols: 02

 

Aqui no time de 1972:

Pescuma,Hermes,Hidalgo,Célio,Cláudio e Nilo.
Agachados:Leocádio Dreyer,Hélio Pires,Tião Abatiá e Dirceu.


Paranaense / 1973
Jogos: 14
Gols: 08

Torneio do Povo / 1973
Jogos: 04
Gols: 00

Brasileiro / 1973
Jogos: 24
Gols: 06

Paranaense / 1974
Jogos: 23
Gols: 11

Brasileiro / 1974
Jogos: 09
Gols: 00

Paranaense / 1975
Jogos: 08
Gols: 04

Brasileiro / 1976
Jogos: 04
Gols: 00

TOTAL
Jogos: 160
Gols: 63


Em 1972 teve a Mini-Copa do Mundo e ele iria ser o centroavante da Seleção Brasileira, foi jantar com o Osvaldo Brandão que disse a ele para levar a sério os treinamentos, pois iria ser ele o centroavante do Brasil.


Porém em um jogo contra o Cianorte, Tião Abatiá quebrou a perna e não foi para a Seleção, mas este é apenas uma passagem de sua carreira que se lembra por ter sido uma falta de sorte, pois ao vermos toda a sua carreira ele teve privilégio e qualidade em todas as equipes por onde passou deixando lembranças suas em todos os cantos.

Em 1975 foi para a Portuguesa de Desportos, onde não foi muito feliz e voltou para o Coxa para ser Campeão Paranaense novamente.


E depois comprou seu passe e foi jogar no Colorado onde ficou mais dois anos ficando até 1977.

 

E aqui o time do Colorado, onde vemos: preparador físico, Ladel, Zé Antônio, Zequinha, Gílson e Edson Madureira.

Agachados: Bira, Menga, Moacir, Tião Abatiá, Jorge e Galeno.

Foto enviada pelo Historiador James Skroch

 

Abaixo foto da Capa do Jornal em Curitiba, em que Tião Abatiá aparece fazendo um gol pelo Colorado o time da Boca Maldita.

 
Conta que não teve jogo de despedida, pois não avisou ninguém que iria parar, e como era o último dia dele de contrato, jogou o último jogo e chegou no roupeiro e disse que iria parar, foi a primeira pessoa a saber de sua aposentadoria nos campos de futebol.

 

 

 


Títulos:


Campeonato Paranaense de 1972 pelo Coritiba;
Campeonato Paranaense de 1973 pelo Coritiba;
Campeonato Paranaense de 1974 pelo Coritiba;
Campeonato Paranaense de 1975 pelo Coritiba
Campeão do Torneio do povo em 1973 pelo Coritiba;
Campeão em 1972, onde ganharam a Fita Azul foram campeões turquia, itália, frança, áfrica(marrocos). Não perderam nenhum jogo.

Personagem da Walt Disney

 

No ano de 1971, Tião Abatiá também serviu de inspiração para a equipe da Disney, que criou o atleta “Tião Abaterá”, personagem das histórias do Zé Carioca.

Foi o primeiro jogador a ter um personagem na Walt Disney.

Pelé também serviu de inspiração para o "Pelézinho" do Maurício de Souza.

 

Confiram abaixo uma história do "Tião Abaterá"com o Zé Carioca, que nosso amigo Jensen Baisi Ricardo nos enviou.

Foi o primeiro jogador a ter um personagem na Walt Disney.

 

 

 

   Abaixo Tião Abatiá em Londrina, já aposentado no futebol.

Aqui vemos acima um trio de ataque em comemoração ao aniversário de Londrina: Tião Abatiá, Brandão e Gauchinho.

 

Craques que já haviam parado de jogar, mas fizeram um jogaço e olhem o público, esta foto é de um quadrinho que encontrei na casa de Gauchinho e outro igual na casa de Tião Abatiá.

 

 

Tião Abatiá recebeu o amigo Marcelo Dieguez no escritório de sua lotérica em Ribeirão do Pinhal para uma entrevista exlcusiva e histórica para nosso arquivo.


 

Tião diz que é com bastante emoção que recebe Marcelo Dieguez em seu escritório e também em sua casa, quando ele foi almoçar com o Ídolo e conversar sobre o futebol, e ver as fotos de Tião.

 

E Marcelo mostrou a ele muito material do Flamengo, inclusive o livro Almanaque do Flamengo de Clóvis Martins e Roberto Assaf, onde mostra o jogo que fez contra o Flamengo quando jogou pelo Coxa e fez gol em Ubirajara Alcântara no 1 x 1 de 1971.

 

Tião Abatiá e o amigo Marcelo Dieguez em 2009 em Ribeirão do Pinhal.


Tião Abatiá brinca que não conseguiu ser vice, jogando pelo Coritiba.

 


Obrigado pela hospitalidade e amizade que fiz com você e sua família.

 

Primeira entrevista em 2009

 

 

 

 

 

 

 

Em outra matéria em vídeo com Tião Abatiá, Marcelo faz uma Homenagem ao grande Ídolo do Futebol, com a entrega de um Certificado e também mostrando 2 camisas que Tião honrou e foi artilheiro, que são as camisas do União Bandeirante e do Coritiba.

 

Abaixo a entrevista em vídeo em Homenagem a Tião Abatiá em 2010

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MAZZOLA, MARCELO E TIÃO ABATIÁ COM A CAMISA DO UNIÃO BANDEIRANTE, ONDE ELE BRILHOU E É ÍDOLO.

Foto= arquivo pessoal

 

MARCELO DIEGUEZ E TIÃO ABATIÁ COM A CAMISA DO CORITIBA QUE MARCELO TROUXE PARA REGISTRAR O MOMENTO.

Esta camisa foi um presente do Presidente do Coritiba Jair Cirino no ano do Centenário do Coxa.

Foto= arquivo pessoal

 

 

MARCELO ENTREGA O CERTIFICADO PARA O AMIGO TIÃO ABATIÁ.

Foto= arquivo pessoal www.historiadordofutebol.com.br

E AQUI ESTÁ O CERTIFICADO EM HOMENAGEM A LINDA CARREIRA DE TIÃO ABATIÁ, GRANDE AMIGO DE MARCELO DIEGUEZ.

Foto= arquivo pessoal www.historiadordofutebol.com.br

Vejam a matéria completa da Homenagem a Tião Abatiá na seção Homenagens:

 

 

 

 

 

MARCELO E TIÃO ABATIÁ COM AS CAMISAS DO CORITIBA E UNIÃO BANDEIRANTE, ONDE ELE BRILHOU E É ÍDOLO.

Foto= arquivo pessoal www.historiadordofutebol.com.br

 

 

 

 

 

 

 

“Tião Abatiá, você faz parte da história do futebol, e eu seu amigo Marcelo Dieguez, O Historiador não vou deixar sua história ser esquecida”.



Um grande abraço de seu amigo Marcelo de Paula Dieguez.