CARLOS ERNESTO OU CABIDE, ex-meio-campo ou ponta-esquerda do Primavera-PR, Coritiba-PR, Atlético Paranaense e Pinheiros-PR.

Carlos Ernesto Cordeiro, o Carlos Ernesto ou Cabide que também era seu apelido no futebol, nasceu no dia 18 de setembro de 1953 na cidade de Curitiba no Estado do Paraná.

Começou a carreira jogando no Juvenil do Primavera de Curitiba.

Fez a sua estréia em um jogo contra o Coritiba, e foi tão bem que no final do Campeonato o Coritiba o contratou.

Foto= arquivo pessoal de Carlos Ernesto

Pelo Coritiba ele disputou no Juvenil a Copa Tribuna e foi Campeão.


Na foto do juvenil do Coritiba abaixo ele é o terceiro em pé, da esquerda pra direita, e o próximo jogador ao lado dele é o Levir Culpi. O segundo agachado da direita para a esquerda é o Dirceu, que depois brilhou na Seleção Brasileira, sendo considerado o terceiro melhor jogador da Copa de 1978.

Foto= arquivo pessoal de Carlos Ernesto

Depois foi contratado pelo Atlético Paranaense, sendo que fez sua estréia no profissional no ano de 1974.

Carlos Ernesto no Atlético Paranaense.

Foto= arquivo pessoal de Carlos Ernesto


Essa foto marca a estréia de Carlos Ernesto no time profissional do Atlético Paranaense, numa partida contra o Rio Branco, de Paranaguá, no antigo Estádio da Baixada.
 

Foto= arquivo pessoal de Carlos Ernesto

Foto= arquivo pessoal de Carlos Ernesto

Foto= arquivo pessoal de Carlos Ernesto

Foto= arquivo pessoal de Carlos Ernesto

Aqui no Poster da Placar Carlos Ernesto aparece sentado, sendo o quarto da direita para a esquerda.

Foto= arquivo do Historiador Rogério Michailev.

Depois foi para o Pinheiros onde também brilhou.

Treino no Pinheiros em 1977.

Foto= arquivo pessoal de Carlos Ernesto

Foto= arquivo pessoal de Carlos Ernesto


Esta foto é do jogo Pinheiros 2x1 Colorado, no dia 22 de janeiro de 1977, em partida válida pela Taça Cidade de Curitiba.


Em pé: Jorge, Valdir, Índio, Osni, Reginaldo e Celso
Agachados: Quincas, Vaquinha, Serginho Zaia, Carlos Ernesto e Zé Roberto. 
 

Foto= Historiador Luiz Fernando Evaristo

Foto= arquivo pessoal de Carlos Ernesto

Foto= arquivo pessoal de Carlos Ernesto

Foto= arquivo pessoal de Carlos Ernesto

Foto= arquivo pessoal de Carlos Ernesto

Carlos Ernesto encerrou a carreira muito cedo aos 23 anos por contusão, ele estava para ir jogar no Santos juntamente com o Nilton Batata, porém sua contusão abreviou sua ida ao Peixe e também sua carreira no profissional.

VEJAM ABAIXO A ENTREVISTA DE CARLOS ERNESTO (CABIDE) PARA MARCELO DIEGUEZ.

1-Nome completo=CALOS ERNESTO CORDEIRO.

2-Data e local de nascimento= 18/09/53, Curitiba / PR

3-Posição= Meio de Campo e Ponta Esquerda

4-Onde e quando começou sua carreira= Juvenil do Primavera.  

5-E como foi sua estréia= Contra o Coritiba (Fiz excelente partida tanto que no final do campeonato o Coritiba me contratou). 

6-Adversários que gostava de jogar= Coritiba, Atletico e Ferroviário

7-Títulos= Copa Tribuna pelo Coritiba (Juvenil), Taça cidade de Curitiba pelo Pinheiros (Fui eleito o melhor jogador do Torneio).

8-Medalhas e troféus= Entre Juvenil, profissional e amador foram muitos.

9-Jogos inesquecíveis
Coritiba x  Atlético / juvenil (uma das minhas melhores partidas pelo Atlético, tanto que nas jogadas que fiz driblando toda a defesa do Coritiba fui aplaudido pela torcida coxa, nunca tinha visto isto).


Botafogo x Atlético no Maracanã (apesar de termos perdido o jogo de 3 a 1, fui o melhor em campo fazendo a jogada do nosso gol e muito elogiado por toda imprensa carioca, inclusive pelo Rui Porto, na época um dos maiores comentaristas de futebol do Brasil, quando ele disse que os torcedores do Brasil deveriam guardar o meu nome e o do Nilton Batata, que depois jogou no Santos, pois seríamos futuramente craques da Seleção Brasileira.  

  
- As três partidas da Taça Cidade de Curitiba de 1977 quando joguei demais, sendo eleito o melhor jogador do Torneio, chamando atenção de diversos times do Brasil que se interessaram em me contratar, como Vasco, Botafogo, Bangu e América do Rio de Janeiro, Santos e Portuguesa de São Paulo, Bahia e Gremio. 


  
10-Jogo que poderia ser esquecido= No Nacional contra o Remo no Couto Pereira (Em virtude de ter muita habilidade e levar muita pancada, me convenceram a usar caneleira, coisa que nunca tinha usado, e joguei minha pior partida, pois parecia que eu estava engessado, onde inclusive fui vaiado pela única vez na minha vida, e foi muito chato ser vaiado por uma torcida que me adorava desde os tempos de juvenil, quando grande parte da torcida chegava mais cedo ao estádio Joaquim Américo (a velha baixada) para ver eu (Carlos Ernesto) na ponta esquerda e o Nilton Batata na ponta direita jogar.      

11-Ídolos= Gostava de ver jogar o Rivelino (maior meio de campo que vi jogar), o Negreiros, do Santos que depois jogou no Coritiba, e o Paulo César Caju. 

12-Você fez muitos amigos no futebol= Amigos verdadeiros poucos, mas muitos conhecidos.

13-Tem contato com estes amigos= Tenho, pois jogamos juntos ou como adversários nos times de Maters.

14-Técnicos que trabalharam contigo= Antenor Ganz (juvenil), Ernesto Marques (Coritiba), Carabina, Nilson Borges, Geraldino, Franciso Sarno (Atlético), e Lori Sandri (Pinheiros). 

15-Alguma história engraçada= Várias quando subi do juvenil para o profissional pois os boleiros queriam sempre aprontar para os juvenis.
Uma que marcou foi quando no meu primeiro treino no profissional, no término do coletivo estava tomando banho, e o Torino muito gozador me olhou e me apelidou de CABIDE, pelo fato de eu ser muito magro e ter os ombros largos, apelido que tenho até hoje no meio futebolístico, entre os colegas do futebol. 

16-Gols= Apesar de ser meio campo sempre fiz muitos gols, tanto no juvenil quanto profissional e amador, mas não tenho ideia do número.  

17-Gol mais importante= Decisão da Taça Cidade de Curitiba quando fiz um gol de cabeça e fomos campeões. 


18-Gol mais bonito= Decisão Taça Paraná (amador) quando fui TRI Campeão pelo Inter de Campo Largo, e fiz o gol da vitória contra o Fanático, num sem pulo quase do meio do campo (inclusive um torcedor nosso passou mal e foi para o hospital de emoção, mas graças a Deus não morreu). 

19-Sequência de times que jogou= Primavera, Coritiba, Atlético, Pinheiros, e o próximo seria o Santos, mas problemas de contusão encerraram precocemente a minha carreira.

20-Frase=” Carlos Ernesto (o Cabide), você faz parte da história do futebol, e eu seu amigo Marcelo Dieguez, O Historiador não vou deixar sua história ser esquecida”.

21-Mensagem= Agradeço a DEUS, ao meu PAI (Ernesto Cordeiro) e a todas as pessoas, técnicos e atletas, pela oportunidade de ter vivido momentos maravilhosos no futebol, jogando em pequenos e grandes estádios, atuando em jogos juvenis, profissionais (Campeonato Regional e Nacional), aparecendo diariamente na mídia, em programas de rádio e televisão, jornais e tendo duas reportagens minhas na revista de futebol mais importante do Brasil, o PLACAR.

CARLOS ERNESTO.               

      

Aqui Carlos Ernesto que além de jogador também é exímio pianista.

Foto= arquivo pessoal de Carlos Ernesto

Abaixo o Paraná Clube Master, onde vemos Carlos Ernesto agachado, sendo o quinto da esquerda para a direita.

Foto= arquivo pessoal de Carlos Ernesto

Com grande gentileza Carlos Ernesto enviou esta dedicatória e seu autógrafo.

Obrigado Carlos Ernesto!!!

 

 

Publicado por Murilo de Paula Dieguez

Fonte de pesquisa:

Fotos do arquivo pessoal de Carlos Ernseto;

Entrevista de Carlos Ernesto para Marcelo Dieguez;

Historiador Luiz Fernando Evaristo;

Historiador Rogério Michailev.

 

 

 

 

 

 

 

Carlos Ernesto e Luiz Fernando Evaristo em Curitiba em 2011

Foto= arquivo pessoal de Carlos Ernesto

 

 

 

 

Abaixo mais uma foto atual do Cabide

Esta foto Atual de Carlos Ernesto foi tirada em seu apartamento logo após ter se encontrado com a Lia Comandulli e o Adriano em uma casa de Chá.

 

 

 

 

"Carlos Ernesto, você faz parte da história do futebol, e eu seu amigo Marcelo Dieguez, O Historiador não vou deixar sua história ser esquecida".

Um abraço de seu amigo Marcelo Dieguez.