BRUNO QUADROS, zagueiro e meio-campo do Linense-SP, ex-Flamengo-RJ, Botafogo-RJ, Galatasaray-Turquia, Sport Recife-PE, São Caetano-SP, Guarani-SP, Cruzeiro-MG, Osaka-Japão, Sapporo-Japão, Tokyo-Japão e Seleção Brasileira Sub-20.

Bruno Ewerton Quadros, o Bruno Quadros nasceu no dia 03 de fevereiro de 1977 na cidade do Rio de Janeiro.

Bruno nasceu numa família fadada ao convívio com o futebol.

Seu avô havia sido nos anos 40 um dos destaques do Flamengo tricampeão carioca em 42, 43 e 44, mostrando ao neto o caminho a ser seguido.

Bruno era um rapaz criado no bairro do Humaitá, Zona nobre da cidade do Rio de Janeiro e mesmo tendo todas estas influências e um carinho e prazer enormes pela arte de jogar futebol, demorou a assimilar a chance de se tornar um profissional.

Futebol era uma forma de passar o tempo e não uma profissão. Garoto ainda, estudante do Colégio Souza Leão, Bruno foi chamado pelo amigo Conrado para treinar futebol de salão no Flamengo.

Começava ali a paixão pelo esporte que deu a ele uma condição de progredir na vida.

Bruno aceitava o convite e entrava assim no mundo da bola.

Seu avô, pais e irmãos o incentivaram demais, talvez vislumbrando a possibilidade de estar apoiando um futuro jogador de futebol profissional.

Ele iniciou seu caminho no esporte pela categoria fraldinha, que engloba garotos de seis a oito anos e a rivalidade que crescia entre clubes do salão na época davam a ele a motivação para não parar.

Os jogos esquentavam entre o Flamengo, o River, o Vasco e o Grajaú.

Começavam a surgir nomes que logo depois iriam brilhar também no cenário nacional e até internacional, como Pedrinho e Felipe que jogavam no Vasco e Athirson que era ala esquerdo do time rubro-negro em que Bruno atuava.

A posição inicial de Bruno, no salão, era pivô/ala.

Tinha uma enorme facilidade de fazer muitos gols e, quase sempre, ser um dos destaques do time nos jogos.

Nos anos seguintes seguiu nas categorias logo acima, atuando pelo pré-mirim, mirim e infantil.

E no último ano de futebol de salão atuou novamente ao lado de Athirson, hoje no Bayer Leverkusen da Alemanha, só que agora pelo Grajaú Country Clube.

Em 1991, Bruno então seguia no salão, mas também começava no futebol de campo do Flamengo.

Antes de estrear pelo Flamengo no campo, Bruno teve sua primeira experiência na grama no time do Nova Geração, cujo dono era o grande Zico.

Esta equipe era sempre formada pelo Galinho com amigos, fossem eles salonistas ou garotos que iniciavam na vida do futebol.

Foi nesta ocasião que Bruno teve uma oportunidade, aprendendo demais com o maior jogador da história rubro-negra.

Mas no comando do Flamengo o aperfeiçoamento veio com o professor Gilson Moreira que testava a qualidade do futebol de Bruno, colocando-o primeiro como ponta-direita e depois na posição que acabou por começar a carreira, a de segundo homem de meio-campo, o camisa número oito.

Fora de campo, Bruno tocava a vida estudantil.

Fazia curso de Arquitetura na Faculdade Bennett.

Tempos depois trocou os projetos pelo curso de Administração de Empresas.

Mas, conciliar futebol e estudos era impossível.

Então, Bruno interrompeu os estudos provisòriamente.

Em 1996 foi convocado para a seleção brasileira categoria sub-20.

Foram dois amistosos no Nordeste e dois no Sul.

Em dezembro daquele ano, Júnior, ex-lateral esquerdo, assumiu o time profissional do Flamengo.

E logo num dos primeiros jogos o argentino Mancuso, contundido, deu lugar a Bruno, que jogou pela primeira vez no time rubro-negro.

A atuação dele foi destacada o que o levou a ser escalado no time titular que começou a disputar o Torneio Rio-São Paulo de 1997.

Bruno foi titular do Flamengo dirigido por Junior em 22 jogos.

Em 1998, Paulo Autuori, treinador do Botafogo pediu a contratação de Bruno para o Campeonato Brasileiro.

A estréia dele seria contra o Flamengo.

O que, por exigência do Flamengo, não pode acontecer.

A passagem pelo Botafogo deu a ele experiência e amadurecimento.

Em 1999 voltava ao Flamengo para ser campeão do Rio de Janeiro numa final contra o Vasco.

No meio do ano, a maior experiência de todas.

Bruno foi para a Europa jogar no Galatasaray, da Turquia, disputar as Copas Européias.

Fez contrato de um ano.

Lá jogou ao lado dos brasileiros Taffarel, Capone e Márcio Mexerica, e dos romenos Popescu e Hagi - da seleção da Romênia.

Todos eles importantes na adaptação de Bruno aos hábitos turcos.

Em agosto do ano de 2000, Bruno voltou ao Flamengo, onde foi Tri-campeão carioca no ano 2001.

Em julho de 2001 foi emprestado ao Sport Club Recife.

Em 2002 jogou no São Caetano, na região do ABC paulista.

O São Caetano foi vice-campeão da Taça Libertadores da América, dirigido pelo treinador Jair Picerni.

Bruno se encantou com a organização do clube e do profissionalismo em São Paulo.

Em agosto daquele ano, o Guarani contratou Jair Picerni.

E Bruno foi junto para Campinas, jogar de zagueiro de área.

No bugre foi capitão do time e jogou até o final de 2003, antes de se transferir para o Cruzeiro a pedido do técnico Vanderlei Luxemburgo como reforço para a disputa da Taça Libertadores.

Depois do Brasil e de uma passagem pela Europa, Bruno teve uma grande experiência no Japão, com títulos e uma mudança radical de viver.

Osaka, Sapporo e Tóquio foram as cidades que Bruno jogou e brilhou com títulos na primeira e segunda divisões do país.

Abaixo Bruno Quadros no Cereso Osaka onde jogou de 2005 a 2006

Abaixo Bruno !uadros Campeão da Segunda Divisão pelo Consadole Sapporo da J League 2007

Aqui Bruno Quadros no Tokyo FC

Agora, de volta ao Brasil, Bruno espera novos contatos para continuar no país ou voltar ao exterior.

Resumo da carreira

Flamengo: Clube onde começou a carreira. Foi campeão em todas as categorias, do mirim ao profissional, tendo marcado sua estréia substituindo o argentino Mancuso.

Nome Completo : Bruno Ewerton Quadros
Data de Nascimento : 03/02/1977
Local : Rio de Janeiro
Posição : meio campo
Data do 1º Jogo : 16/01/1997
Data do Ultimo Jogo : 13/05/2001
Nº Jogos : 93
N º Gols : 6

Botafogo: foi contratado por empréstimo para jogar o Campeonato Brasileiro e jogou como titular pelo período que esteve lá. Ao término do contrato retornou para o Flamengo (dono do seu passe), pois o Botafogo vivia dificuldades financeiras.

Galatasaray: foi contratado para disputar somente a Champions League, uma vez que para o Campeonato Turco o clube já tinha excesso de jogadores estrangeiros inscritos. Por isso atuou em poucos jogos. Jogou como titular nas 5 partidas iniciais do campeonato onde foi inscrito com a camisa número 2. Ao término do contrato, alguns motivos contribuíram para o retorno do jogador ao Flamengo. O atacante Hagi, que iria parar de jogar futebol, não parou. Jardel foi contratado à peso de ouro e além disso o Flamengo pediu US$ 2 milhões pelo seu passe.

Sport: foi contratado para jogar as finais e semi-finais do Campeonato Pernambucano e o Campeonato Brasileiro. Jogou como titular até o clube passar a não ter chances de classificação no Campeonato Brasileiro.

São Caetano : foi contratado após alguns meses sem clube, para fazer parte do elenco que disputou a Libertadores de 2002. Ajudou o time a ser vice-campeão do torneio.

Guarani: Levado pelo técnico Jair Picerni, que o dirigiu na época de São Caetano, Bruno se firmou como zagueiro e líder do jovem time de Campinas. Foi capitão do time do último Brasileirão.

Cruzeiro: Contratado a pedido do técnico Vanderlei Luxemburgo para reforçar o atual campeão brasileiro que disputa a Libertadores em 2004.

Cerezo Osaka: Contratado no começo de 2005 para ser o xerife da zaga do time nipônico. No fim de 2005, renovou o contrato por mais uma temporada. Esteve entre os melhores jogadores da temporada (eleito por jogadores, treinadores e jornalistas).

Consadole Sapporo: Foi um ano de grandes alegrias para Bruno com o retorno a primeira divisão japonesa

FC Tokyo: Dois anos distintos. Um primeiro de adaptação a capital e algumas lesões. No segundo ano, recuperação plena e grande campanha na JLeague e o titulo da Copa Nabisco.


 
Flamengo(1997 a 2001)
* 94 jogos - 6 gols
 
Botafogo (1998)
* 6 jogos - 1 gol
 
Galatasaray (1999/2000)
* 2 jogos (UEFA Champions League)
Bruno jogou contra o Hertha Berlin e Milan nesta competição.
Ficou no banco nas partidas contra o Bologna, Chelsea e Hertha Berlin
 
Istanbulspor Kulubu Dernegi (2000)
* Atuou no clube de janeiro a maio, com 1 gol feito.
 
Sport Clube do Recife (2001)
* 11 jogos (3 Brasileiros / 2 seletiva Copa dos Campeões / 6 pelo Campeonato Pernambucano)
 
A. D. São Caetano (2002)
* 6 jogos (5 na Libertadores / 1 no Rio - Sao Paulo)
 
Guarani (2002)
* Campeonato Brasileiro de 2002 - 18 jogos (1 gol - Goiás)
3 cartões amarelos (Paysandu / Ponte Preta e Botafogo)
1 vermelho (S.C. Corinthians Paulista)
 
Guarani (2003)
* 50 jogos - 1 gol (total 2003)
* Campeonato Paulista de 2003 - 7 jogos
Nenhum cartão no campeonato
* Copa do Brasil 2003 - 2 jogos
Nenhum cartão no campeonato
* Campeonato Brasileiro 2003 - 41 jogos
1 gol (contra o Grêmio - 07/08 - Brinco de Ouro)
3 cartões amarelos (Atlético-MG / São Paulo F.C. / Atl-PR)
 
Cruzeiro (2004)
* amistosos - 2 jogos / 1 gol (Cruzeiro 11 x 0 Canto do Rio)
* partidas oficiais - 22 jogos (total 2004)
 
Cerezo Osaka (2005)
* amistosos - 2 jogos / 1 gol
* partidas oficiais - 45 jogos - 2 gols (total 2005)
* Jleague 33 jogos, Nabisco 8 jogos, Imperador 4 jogos
* Jogou 33 dos 34 jogos do Cerezo Osaka na J-League, fazendo parte da terceira  melhor defesa do torneio.
 
Cerezo Osaka (2006)
* 30 jogos (Jleague, Nabisco e Imperador)
 
Consadole Sapporo (2007)
* 43 jogos - 1 gol
 
FC Tokyo (2008)
* 5 jogos - 2 gols (total 2008)
* 2 jogos (Jleague)
* 3 jogos (Nabisco) 2 gols
 
FC Tokyo (2009)
* 33 jogos - 1 gol (total 2009)
* 22 jogos (Jleague)
* 8 jogos (Nabisco)
* 3 jogos (Imperador) 1 gol

Alki Larnaca-Chipre (2010)

16 jogos - campeonato nacional (3 e, 4 v e 9 d)

4 jogos pela Copa do Chipre (3 v e 1 d)

Linense ( desde 2011)

Aqui Bruno Quadros no Linense

Aqui Bruno Quadros no Linense

O Linense encerrou a sua participação na primeira fase do Campeonato Paulista de 2012 em grande estilo.

Jogando no estádio Gilbertão neste domingo, o "Elefante" venceu o São Paulo por 2 a 1 e terminou a etapa na décima primeira colocação com 23 pontos.

Os gols da equipe do zagueiro Bruno Quadros foram assinalados por Andrade e Paulo Miranda(contra).

Sendo assim, o clube alvirrubro encerrou sua participação na disputa de forma muito mais tranquila do que em 2011, quando lutou até a última rodada pela permanência na elite do futebol paulista.

Títulos


. VICE CAMPEONATO RIO - SAO PAULO  97 (Fla)
· VICE-CAMPEONATO COPA DO BRASIL-97 (Fla)
· SUPER COPA DOS CAMPEÕES-97 (Fla)
· CAMPEONATO CARIOCA-99 (Fla)
· CAMPEONATO CARIOCA-2001 (Fla)
· COPA UEFA-99/2000 (Galatasaray)
· VICE CAMPEONATO LIBERTADORES-2002 (S. Caetano)
· CAMPEONATO MINEIRO-2004 (Cruzeiro)
. CAMPEÃO JLEAGUE 2 - 2007 (Consadole Sapporo)
. CAMPEÃO COPA NABISCO - 2009 ( FC Tokyo)

Publicado por: Murilo de Paula Dieguez


Fonte de Pesquisa:

http://www.brunoquadros.com.br/

http://www.flaestatistica.com

"Bruno Quadros, você faz parte da história do futebol, e eu seu amigo Marcelo Dieguez, O Historiador não vou deixar sua história ser esquecida".

Um abraço de seu amigo Marcelo de Paula Dieguez.