Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

copadomundo1930e

 

 

Copa do Mundo 1930 - Uruguai

 

Bicampeão olímpico em 1924 e 1928 e 1º anfitrião, Uruguai vence a primeira Copa do Mundo e em casa. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Bicampeão olímpico em 1924 e 1928 e 1º anfitrião, Uruguai confirma favoritismo, fatura título batendo Argentina e fortalece mito da Celeste. Brasil é 6º

 

Uruguai Campeão do Mundo de 1930
Em pé: Mascheroni, Nazassi, Ballesteros, Fernandez, Andrade e Gestido
Agachados: Dorado, Scarone, “Manco” Castro, Cea e Iriarte

 

 

 

 

data de 22 de julho de 1930,  o estádio é o Centenário, em Montevidéo-UR, onde se realizou a I Copa do Mundo.

O Brasil estreou contra a Iugoslávia e caiu por 2 x 1. O time abaixo é a Seleção Brasileira, que apesar de ter ganhado da Bolívia por 4 x 0, foi desclassificado pela derrota anterior. A equipe base do Brasil na época era: Veloso; Zé Luiz I e Itália: Hermógenes, Fausto e Fernando; Benedito,Russinho, Carvalho Leite, Preguinho e Moderato.

 

 

 

Escolha da sede

 

Antes de ser criada a Copa do Mundo, a Fifa reconhecia o país medalha de ouro de futebol nos Jogos Olímpicos como o campeão mundial. Numa conferência em Amsterdã, em 1928, o francês Jules Rimet, presidente da entidade máxima do esporte, anunciou que criaria um torneio à parte. No ano seguinte, em uma reunião em Barcelona, escolheu o Uruguai como sede. Houve dois critérios: primeiro, o fato de 1930 ser o ano do centenário da independência do país. Além disso, a Celeste vinha de dois títulos olímpicos seguidos, em 1924 e 1928.

Abaixo na foto o Neto de Jules Rimet, e Jules Rimet no sorteio dos grupos da Copa de 1930

 

 

 

Abaixo a chegada de Jules Rimet de navio ao Uruguai

 

 

Os estádios

Apenas três foram utilizados no primeiro Mundial da história: o Centenário, construído especialmente para a competição, que abrigou 10 dos 18 jogos, incluindo semifinais e decisão, o Pocitos e o Parque Central.



 

Abaixo foto do Historiador e amigo Luiz Fernando Evaristo em visita ao Estádio Centenário em 2014

 

 

Abaixo foto do Historiador e amigo Luiz Fernando Evaristo em visita ao Estádio Centenário em 2014

 

 

Abaixo foto do Historiador e amigo Luiz Fernando Evaristo em visita ao Estádio Centenário em 2014

 

 

As eliminatórias

Não houve eliminatórias na primeira Copa do Mundo. As nações afiliadas à Fifa foram convidadas para a competição. A dois meses do início, apenas os países das Américas se apresentaram. Como as viagens de transatlântico eram muito caras e os jogadores normalmente exerciam outra atividade - o futebol ainda vivia no amadorismo -, ficava difícil para os países da Europa aceitarem atravessar o Oceano para se afastar por dois meses. Quando o presidente da Fifa, Jules Rimet, anunciou que a entidade e o país-sede bancariam os custos, Bélgica, França, Romênia e Iugoslávia se juntaram a Brasil, Argentina, Paraguai, Chile, Peru, Bolívia, Estados Unidos e México, além do anfitrião, para serem os 13 países participantes. Itália, Espanha, Hungria, Alemanha, Suíça, Áustria, Inglaterra e Tchecoslováquia desistiram e foram as baixas.

 

Desfile Inaugural

 

 

O Campeão

Bicampeão olímpico em 1924 e 1928, o Uruguai entrou no Mundial em casa como um dos favoritos e não decepcionou.

Abaixo os Capitães do Uruguai e Peru na estréia da Copa

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 Cabeça de chave do Grupo 3, bateu o Peru na estreia por 1 a 0 e depois não tomou conhecimento da Romênia, aplicando goleada por 4 a 0. Como eram apenas quatro grupos - três com três seleções e apenas um com quatro -, só passavam os campeões de cada chave. Nas semifinais, a Celeste Olímpica aplicou 6 a 1 na Iugoslávia. Na final, 4 a 2 sobrea a Argentina.

Abaixo o Uruguai Campeão de 1930 e no detalhe o craque da Copa Hector

 

 

 

Abaixo os capitães do Uruguai e Argentina

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

o artilheiro


Na primeira partida da Argentina na Copa, Guillermo Stábille começou no banco. Na segunda,  contra o México, entrou e já marcou três gols, tornando-se o primeiro a fazer hat-trick em Mundiais. "El Infiltrador", como ficou conhecido, terminou a competição com 8 gols.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


O craque

Com 31 anos, Hector Scarone era o vovô da Celeste Olímpica. Reserva na estreia dos donos da casa, entrou no time apenas na segunda partida. E o que aconteceu? Goleada sobre a Romênia por 4 a 0 (um gol de Scarone). Daí até o fim, o atleta do Nacional não só ficou no time até o fim como ganhou o apelido de "El Mago".  Foi o grande comandante.

Abaixo Hector herói também do Nacional do Uruguai

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Abaixo Hector com Anselmo Pelegrino

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Seleção brasileira

Na Copa de 1930, o Brasil fez campanha ruim. Devido a problemas políticos, a Federação Paulista não cedeu jogadores - apenas Araken, que se desligava do seu clube, o Santos. O time foi formado às pressas, com jogadores do Rio de Janeiro. No Grupo 2, estreou com derrota para a Iugoslávia, por 2 a 1, e venceu a Bolívia por 4 a 0. Não passou para as semifinais, e terminou a competição em sexto lugar. Como destaques do time, o defensor Fausto dos Santos (Vasco) e os atacantes Preguinho (Fluminense) e Moderato (Flamengo).

 

Abaixo a chamada Seleção Carioca, onde somente o paulista Araken participou, já que havia se desligado do Santos.

 

 

Decepção


Depois de uma goleada por 4 a 1 sobre o México na estreia, pelo Grupo 1, a França criou expectativas no Mundial. Até porque o time contava com uma muralha no gol, Alex Thepot, que chegou a ser carregado em triunfo pelos torcedores uruguaios após defesas sensacionais na derrota por 1 a 0 para a Argentina. O que ninguém esperava, no entanto, era a derrota por 1 a 0 para o Chile. Zebraça que deixou os Bleus no 10º lugar na Copa do Mundo.

Abaixo a Seleção da França, onde aparece agachado, sendo o quarto da esquerda para a direita Lucient Laurrent, autor do primeiro gol em Copas do Mundo.

 

 

Abaixo a Seleção do México

 

 


Para a história

O primeiro gol da história de todas as Copas foi marcado pelo francês Lucient Laurrent, na goleada por 4 a 1 sobre o México, aos 19 minutos do primeiro tempo.
* Fontes para consulta: site oficial da Fifa, "O Livro de Ouro do Futebol", de Celso Unzette, "Almanaque dos Mundiais", de Max Gehringer, e Wikipédia.


A decisão

No estádio Centenário, 93 mil pessoas viram os donos da casa conquistarem o título com triunfo por 4 a 2 sobre a Argentina, gols de Pablo Dorado, Pedro Cea, Santos Iriarte e Héctor Castro - Peucelle e Stábile marcaram para os argentinos.


Abaixo os Uruguaios comemoram o Título da Copa de 1930

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Uruguai vence Argentina e conquista primeiro título mundial

A escolha do Uruguai para sediar a primeira Copa do Mundo da FIFA foi feita em meio a uma grave crise econômica na Europa. Para participarem de um torneio do outro lado do mundo, as seleções europeias teriam de realizar uma longa viagem transatlântica. Além disso, alguns clubes ficariam dois meses sem os seus principais jogadores — um problema que ainda dá o que falar hoje em dia.


A primeira Copa do Mundo da FIFA foi organizada de uma forma diferente da atual. Sem eliminatórias, 13 seleções foram convidadas, e o sorteio final só foi feito depois de elas chegarem ao Uruguai. 
A França derrotou o México por 4 a 1 na partida de abertura, mas foram duas seleções sul-americanas que fizeram a final. Após chegar ao intervalo perdendo por 2 a 1 para a rival Argentina, o Uruguai virou o jogo e venceu por 4 a 2, conquistando o troféu projetado pelo escultor francês Abel Lafleur.

Abaixo a Seleção da Argentina Vice-Campeã de 1930

 

 

Abaixo o argentino Francisco Varallo em ação contra o México

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


América do Sul recebe a maior festa do futebol


Embora o futebol tenha nascido oficialmente em 1904 com a fundação da FIFA, foi somente em 1924 com o Torneio Olímpico em Paris que o esporte passou a ser realmente internacional. Pela primeira vez, seleções de outros continentes enfrentaram os países europeus. A competição foi um sucesso total: 50 mil espectadores assistiram à vitória do Uruguai sobre a Suíça na decisão. Em 1928, contudo, muitas nações não quiseram participar do Torneio Olímpico em Amsterdã. Já era o momento de uma competição nova e independente ser criada para dar conta do crescimento do futebol profissional. 
No dia 26 de maio de 1928, em Amsterdã, o congresso da FIFA decidiu que o novo torneio seria realizado em 1930 e estaria aberto a todos os países-membros. Em 18 de maio de 1929, o congresso de Barcelona elegeu o Uruguai para ser a primeira nação a sediar uma Copa do Mundo da FIFA.

A volta ao mundo


Como era o campeão olímpico e comemoraria 100 anos de independência em 1930, o Uruguai foi a escolha mais apropriada. Embora a decisão tenha sido aprovada com entusiasmo por todos os países praticantes do futebol, muitas nações europeias não gostaram muito da ideia de cruzar o Atlântico em uma viagem longa, cansativa e cara. Por esse motivo, várias federações nacionais acabaram desistindo da sua promessa de participar.   
Dois meses antes do torneio, nenhuma seleção europeia havia confirmado a sua inscrição. Foram os esforços pessoais do presidente da FIFA, Jules Rimet, que asseguraram a viagem de quatro selecionados a Montevidéu: Bélgica, França e Romênia no SS Conte Verde, e a Iugoslávia no MS Flórida.


Um enorme sucesso desportivo


A primeira Copa do Mundo da FIFA atraiu apenas 13 nações: quatro europeias, oito sul-americanas e uma norte-americana. Em campo, no entanto, o futebol apresentado foi da maior qualidade. O público esperava um domínio das seleções regionais, mas as quatro europeias não fizeram feio. A França goleou o México por 4 a 1 e perdeu apertado por 1 a 0 para a Argentina em uma partida que entrou para a história após o árbitro dar o apito final seis minutos antes do fim do tempo regulamentar. Quando, atendendo a protestos, o juiz chamou os jogadores de volta ao campo, muitos deles já estavam no chuveiro.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


O primeiro campeão mundial


Alguns dias depois, no gigantesco Estádio Centenário, com capacidade para 100 mil torcedores, Uruguai e Argentina se enfrentaram em meio a um clima de muita euforia. Mesmo com uma desvantagem de 2 a 1 no intervalo, a Celeste Olímpica teve competência e bravura para levar o título com três gols na etapa final, surpreendendo e derrotando a Argentina por 4 a 2. Jules Rimet entregou ao capitão uruguaio José Nazassi o troféu "Victoire aux Ailes d'Or", uma estátua dourada de quatro quilos e 30 cm de altura. As comemorações em Montevidéu duraram vários dias e noites. O dia seguinte à vitória, o 31 de julho, foi declarado feriado nacional. A bola estava em jogo para o evento de maior prestígio do futebol. A internacionalização do esporte bretão havia sido oficialmente proclamada.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  • Equipes: 13
  • Quando: 13 Julho 1930 a 30 Julho 1930
  • Final: 30 Julho 1930
  • Jogos: 18
  • Gols: 70 (média 3.9 por partida)
  • Público: 590549 (média 32808)

Classificação Final do Torneio

  • Campeão: Uruguai
  • Vice-campeão: Argentina
  • Terceiro lugar: EUA
  • Quarto lugar: Iugoslávia

Chuteira de Ouro

  • 1: Guillermo STABILE (ARG)
  • 2: Pedro CEA (URU)
  • 3: Bert PATENAUDE (USA)
  • 3: Guillermo SUBIABRE (CHI)

 

Abaixo a Seleção dos Estados Unidos que ficou com o terceiro lugar na Copa de 1930

 

 

Abaixo a Seleção dos Estados Unidos que ficou com o terceiro lugar na Copa de 1930

 

 

Em 26 de maio de 1928, no Congresso da Fifa em Amsterdã, o presidente da entidade, o francês Jules Rimet, finalmente conseguiu aprovação de um plano antigo: a realização de um torneio mundial de futebol.

O próprio Jules Rimet anunciou: "O Congresso decidiu organizar, em 1930, uma competição aberta aos selecionados de todas as entidades filiadas."

No ano seguinte, no Congresso de Barcelona, a Fifa determinou que o torneio seria realizado no Uruguai, que tinha a seleção bicampeã olímpica e era a grande potência do futebol mundial.

O Uruguai iria assim comemorar o centenário de sua independência como anfitrião da primeira Copa do Mundo de futebol.

Poucos participantes

O primeiro torneio seria disputado por apenas 13 seleções. A escolha do Uruguai acabou enciumando os europeus. Além disso, a longa viagem de navio até Montevidéu, de quase dois meses, não animava as seleções da Europa.

A participação européia se resumiu às seleções da Bélgica, França, Iugoslávia e Romênia.

Curiosamente, o time da Romênia foi escalado pelo então rei Carol, que deu aos jogadores três meses de folga e garantia de emprego na volta da Copa.

Nas Américas, além do dono da casa, o Uruguai, oito seleções aceitaram o convite da Fifa: Argentina, Bolívia, Chile, México, Peru, Paraguai, Brasil e os Estados Unidos. A seleção norte-americana era reforçada por diversos jogadores ingleses, já que a Inglaterra tinha se desvinculado da Fifa por divergir da entidade quanto ao pagamento de atletas amadores.

 

Abaixo a Seleção do Paraguai que jogou a Copa de 1930

 

 

Abaixo foto da Seleção do Peru que enfrentou a Romenia

 

 

Aqui o goleiro peruano, Pardon

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Abaixo a Seleção Peruana que inagurugou o Estádio Centenário contra o Uruguai

Paulistas de fora

 

 

No Brasil, uma briga interna entre a Confederação Brasileira de Desportos (CBD) e a Associação Paulista de Esportes Atléticos não permitiu que a seleção que foi à Copa contasse com a força máxima.

De São Paulo, apenas o jogador do Santos Araken Patuska quis participar. Ficaram de fora grandes craques, como Friendereich, Feitiço, Nestor, Amílcar e outros.

A ausência dos paulistas fez com que a imprensa apelidasse a seleção de 30 de "carioquinha".

Para a Copa, os times foram divididos em quatro grupos. Os vencedores de cada grupo fariam as semifinais, que decidiriam as equipes finalistas.

Os uruguaios tinham construído o magnifíco estádio Centenário, na capital Montevidéu, com capacidade para 80 mil pessoas, onde seria disputada a grande final.

 

 

Estréia

O Brasil estreou no dia 14 de julho, no estádio Parque Central, contra a equipe da Iugoslávia.

Abaixo Preguinho o capitão da Seleção de 1930

 

Estranhando o frio e vítima da falta de organização, a equipe brasileira terminou o primeiro tempo perdendo de 2 a 0. O atacante Preguinho ainda descontou no segundo tempo, mas não passou disso. Resultado final: Iugoslávia 2, Brasil 1.

Em seguida, tanto iugoslavos como brasileiros aplicaram goleadas de 4 a 0 na Bolívia.

Abaixo a Seleção no Primeiro jogo em Copas do Mundo, diante da Yugoslávia

 

 

Os resultados classificaram a Iugoslávia. Com isso, o Brasil encerrava de forma acanhada sua participação na primeira Copa do Mundo de futebol.

Abaixo o ataque da Seleção Brasileira frente a Yugoslávia

 

 


Por seu lado, Uruguai e Argentina seguiam firmes rumo à final. Mas, no jogo de estréia, os argentinos tiveram que suar a camisa para vencer os franceses por 1 a 0, gol de Monti, em cobrança de falta.

A partida teve arbitragem do juiz brasileiro Almeida Rego, que se confundiu e apitou o final do jogo aos 39 minutos do segundo tempo.

Convencido do erro por seus auxiliares, Almeida acabou cedendo às reclamações dos franceses e mandou os argentinos voltarem do vestiário para jogar os 6 minutos restantes. Os jogadores tinham esfriado e o placar não foi alterado.

No jogo seguinte, contra o México, a Argentina voltou a fazer história. O árbitro boliviano Ulrico Saucedo marcou 5 pênaltis a favor dos argentinos, que não deixaram de converter nenhum. Resultado final: Argentina 6, México 3, na partida que até hoje detém o recorde do maior número de pênaltis marcados.

Nas semifinais, duas goleadas de 6 a 1: os argentinos venceram os americanos e os uruguaios despacharam os iugoslavos.

Final

Para a partida final, a Fifa teve que intervir, pois tanto argentinos quanto uruguaios queriam que o jogo fosse disputado com sua própria bola. A Fifa decidiu que o primeiro tempo seria jogado com a bola argentina e a etapa complementar com a bola uruguaia, um pouco menor e mais leve.

No dia 30 de julho de 1930, Uruguai e Argentina fizeram, no estádio Centenário, a grande final, diante de um público estimado em 90 mil pessoas.

No fim do primeiro tempo, a Argentina vencia por 2 a 1, mas depois do intervalo os uruguaios viraram o jogo e venceram por 4 a 2, conquistando a taça Jules Rimet - um troféu em ouro maciço criado pela Fifa.

A taça permaneceria de posse do vencedor até o próximo Mundial, que seria disputado dali a quatro anos. A Fifa determinou também que a primeira seleção a conquistar o mundial por três vezes, conquistaria a taça Jules Rimet em definitivo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Para a Fifa, a primeira Copa do Mundo foi um grande sucesso, o que garantiria a adesão de novas seleções ao torneio seguinte, em 1934, na Itália.

Com oito gols, o argentino Stabile, foi o artilheiro da Copa. O registro negativo ficou por conta do jogador peruano De las Casas, que, com sua expulsão na partida contra a Romênia, passou para a história como o primeiro jogador a ser expulso numa Copa do Mundo.

Para o Brasil, restou o consolo de ver o meio-de-campo Fausto - chamado pela imprensa de "Maravilha Negra" - ser incluído na seleção da Copa do Mundo.

Seleção brasileira 

Joel, Veloso, Brilhante, Itália, Benedito, José Luis, Hermógenes, Pamplona, Fontes, Benevenuto, Fausto, Fernando, Oscarino, Teófilo, Ivan e Mariz, Poli, Araken, Carvalho Leite, Russinho, Preguinho, Moderato, Doca e Manoelzinho.

Resultados

Grupo 1

França 4 X 1 México
Argentina 1 X 0 França
Chile 3 X 0 México
Argentina 6 X 3 México
Chile 1 X 0 França
Argentina 3 X 1 Chile

Grupo 2

Iugoslávia 2 X 1 Brasil
Iugoslávia 4 X 0 Bolívia
Brasil 4 X 0 Bolívia

Grupo 3

Romênia 3 X 1 Peru
Uruguai 1 X 0 Peru
Uruguai 4 X 0 Romênia

Grupo 4

Estados Unidos 3 X 0 Bélgica
Estados Unidos 3 X 0 Paraguai
Paraguai 1 X 0 Bélgica

Semifinais

Argentina 6 X 1 Estados Unidos
Uruguai 6 X 1 Iugoslávia

Final

Uruguai 4 X 2 Argentina


O BRASIL NA COPA DO MUNDO DE 1930



A situação do futebol brasileiro era boa, em 1930. Depois de quatro anos de cisão, surgira a pacificação em São Paulo, fundindo-se a APEA e a LAF.

A CBD estudava tranquilamente as providências para sua participação na primeira Taça do Mundo.

O campeonato brasileiro de 1929 reunira a nata do futebol do Rio e de São Paulo, incluindo nomes da geração de 19, ainda na ativa.

A seleção, jogando com o nome de Combinado Rio-São Paulo, não perdia há bastante tempo.

Em 1928 e 1929 derrotara famosos clubes estrangeiros: o Motherwell, escocês, por 5 a 0; o Rampla juniors, uruguaio, por 4 a 2; o Barracas, argentino, por 5 a 3 e o Ferencvaros, húngaro, por 2 a 0.

Assim, com os mesmos craques daquelas jornadas, o Brasil poderia formar uma forte seleção.

Vieram as convocações, e com elas, a troca de telegramas e ofícios que documentam a crise.


"CBD - Rio - 7/5/30. Exmo. Sr. Presidente da Associação Paulista de Esportes Atléticos. Abraços. Apresso-me acusar recebimento dessa entidade participando patriótica decisão suspender, após 9 corrente, jogos campeonato futebol para disputa campeonato mundial. Tenho grande satisfação transmitir V. Exª. plena satisfação causada ato associação sua alta presidência, que aliás era esperado ante tradições benemérita filiada. Peço V. Exª. fineza providenciar para jogadores estejam capital quinta-feira próxima, dia 12 corrente".


Mas logo a seguir, o maligno espírito da velha rivalidade, sempre mal orientada, deveria se intrometer e arruinar tudo, exatamente como acontecera para os sul-americanos de 1920 e 1923.

Paulistas e cariocas reiniciaram a briga regionalista e tudo foi por água abaixo. Assim, quando a CBD convocou os paulistas Clodô, Feitiço, Del Debbio, Serafino, Pepe, Filó, Heitor, Freiedenreich, Araken, De Maria, Athié, Grané, Luizinho, Petronilho e Nestor, a APEA negou-os. Mas explicou sua atitude num relatório oficial:


"Em princípio do corrente ano a APEA pleiteou junto à CBD a nomeação de um dos membros - o veterano Amílcar - de sua comissão de esportes para integrar a omissão da entidade nacional encarregada de organizar o selecionado. Essa pretensão da APEA foi mal recebida pela CBD que, primeiramente com protelações, afinal com a recusa franca, indeferiu nosso desejo. Nestas condições, a APEA, para evitar a continuação das humilhações pelas quais a CBD a fazia passar, recusou-se a cooperar com seus jogadores para a formação do selecionado brasileiro. Finalmente, a 12 de junho de 1930, chegou a resposta da CBD, declarando que não podia atender ao pedido da APEA porque seus estatutos fixavam em três os membros da comissão e estes já estavam nomeados; esqueceu-se, no enatnto, o senhor presidente, que a CBD já havia aumentado para cinco os membros dessa comissão, nomeando ainda dois adidos à mesma".


Era a crise. A CBD reuniu os jogadores de que dispunha e os enviou para Montevidéu. Um único paulista se ofereceu - Araken Patuska - por estar sem clube na ocasião. Como seria formada a seleção, se todos se apresentassem? À base das atuações do Combinado, isto é: Athié; Itália e Grané; Pepe, Fausto e Serafino; Filó, Petronilho, Fried, Feitiço e De Maria. Era o time ideal, que a crise não deixou viajar. E o Brasil entrou em campo com Joel; Brilhante e Itália; Hermógenes, Fausto e Fernando; Poly, Nilo, Araken, Prego e Teófilo.


Fazia muito frio no dia do primeiro jogo. O adversário era a Iugoslávia, na época sem cotação internacional. Porém, tudo foi mal para os nossos. Acostumados a temperaturas baixas e com mais conjunto, os iugoslavos encontraram um rival sem confiança e desorganizado. Já no primeiro tempo, venciam por 2 a 0. No segundo, numa pequena reação, os brasileiros chegaram a dominar, mas sem sorte. Fizeram um gol, por intermédio de Prego e só. Final: Iugoslávia dois a um.


A derrota deixou o Brasil sem chance para a classificação. Restava o jogo com a Bolívia. Mudou-se o time e ele melhorou. Saíram Joel, brilhante, Poly, Nilo, Araken e Teófilo, entrando, respectivamente, Veloso, Zé Luís, Benedito, Russinho, Carvalho, Leite e Moderato. Como segundo colocado do grupo, porém (venceu a Bolívia por 4 x 0, gols de Prego 2 e Moderato 2), o Brasil não passou à rodada seguinte.

Entretanto, teria sido fácil vencer.

Basta lembrar o que houve depois da Copa.

A CBD convidou os escretes da França, dos Estados Unidos e da Iugoslávia para uma série de amistosos.

O nosso Combinado venceu a Iugoslávia por 4 a 1, A frança por 3 a 2 e os EUA por 4 a 3.

Os americanos ainda perderam para o Botafogo (2 a 1), para o São Paulo (5 a 3) e empataram de 3 x 3 com o Santos; a França perdeu para o Santos por 6 a 1, e a Iugoslávia perdeu para o Vasco por 6 a 1.

Nada disso, porém, tirava a copa dos uruguaios, que unidos, organizados, já sob a legenda da celeste, levantaram o título.


Esta série de resultados expressivos convenceu a todos que, brigando entre si, os brasileiros derrotaram sua seleção antes mesmo de embarcá-la. Tivessem os dirigentes se entendido a tempo e evitariam o que aconteceu em Montividéu, onde, de positivo, fiocu apenas a presença de Fausto dos Santos, considerado o melhor centro-médio do certame, sendo apelidado de A Maravilha Negra.

Abaixo vídeos da Copa de 1930

video da copa de 1930

Copa do Mundo 1930 Filme 2

Partida Final

Seleção Brasileira

Pelicula Oficial da Copa do Mundo de 1930

Entrevista o ex-jogador argentino Varallo, sobre Stabille o Artilheiro da Copa de 1930

Entrevista com o ex-jogador argentino Varallo. Em 1998, ele era o único jogador presente à primeira final de Copa do Mundo (1930), que estava vivo. Ele fala sobre Guillermo Stábile, artilheiro da Copa do Mundo de 1930. O entrevistador é Gary Lineker, artilheiro da Copa de 1986. Imagens: SPORTV.

Gols das Copas de 30 até 1982

Pioneiros, Recordes e Curiosidades das Copas do Mundo de 1930, 1934 e 1938, por Bruno Lucena

Esporte espetacular: Uruguai 1930 - A primeira copa do mundo da História

Preguinho

 

Publicado por: Murilo Dieguez

 

 

 


Fonte de Pesquisa:

http://pt.fifa.com

Thomáz Mazzoni

http://geleiageneral.blogspot.com.br/2010_06_01_archive.html

http://globoesporte.globo.com

http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2002/020329_copa30.shtml

http://www.youtube.com/watch?v=AOBBFX0csnc

Bruno Lucena

Vídeos no youtube

Seleção Uruguaia