Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

 adilio100c

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ADÍLIO, ex-meio-campo do Clube de Regatas do Flamengo, Coritiba, Barcelona do Equador, Alianza-Peru e Seleção Brasileira.

 

Adílio de Oliveira Gonçalves, o Adílio, nasceu no dia 15/05/1956 na cidade do Rio de Janeiro-RJ.

 

 

 

Adilio ainda nos juniores em 1976 com tita e Julio Cesar, e Andrade (no jornal diz Álvaro, mas é o Andrade com a camisa número 13)

 

 

Adílio tem uma história curiosa de amor ao Flamengo desde a infância.

Morador da Cruzada São Sebastião - uma comunidade de baixa renda que surgiu a partir da desocupação de uma favela no bairro do Leblon -, Adílio desde menino pulava os muros do clube para acompanhar os treinos do time de futebol.

 

Com seis anos de idade já frequentava a Gávea.

Passou por todas as divisões de base sempre se destacando e ficou ao todo praticamente 24 anos no Flamengo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Aos 21 anos de idade, era titular absoluto no meio-campo do Flamengo, jogando com a camisa 8.

Além da vaga no time, conquistou o carinho da torcida por ser um jogador raçudo e ao mesmo tempo extremamente técnico.

 

 

 

 

Participou com peça fundamental a partir de 1978 da série de conquistas do Flamengo, que culminaria em 1981 com o título do Mundial de Interclubes.

Aqui com a camisa da Seleção Brasileira.

Ao todo foram três títulos brasileiros, além dos quatro títulos de Campeão carioca.

 

 

Aqui em seu primeiro Título Brasileiro no Flamengo em 1980.

Em pé: Andrade, Marinho, Raul, Rondineli, Carlos Alberto e Júnior;

Agachados: Tita, Adílio, Nunes, Zico e Júlio César "Uri Geller".

 

 

 

Contabilizando o período que vai de 1975 a 1987, ainda a curta passagem em 1993, Adílio disputou 611 jogos pelo Rubro-Negro, marcando no total 128 gols.

 

 

 

 

 


Criado no Flamengo, clube que defendeu por grande parte de sua carreira, Adílio atuou ao lado de Zico e Andrade, formando um dos melhores meio-campo da história.

 

 

 

 

Em pé: Raul, Mozer, Marinho, Nei Dias, Júnior e Andrade;

Agachados: Lico, Leandro, Nunes, Zico e Adílio.

 

 

 

 

 

Com esse time, o Fla conquistou suas maiores glórias, incluindo a Taça Libertadores da América e o Mundial Interclubes de 1981 e os Brasileiros de 1980, 1982 e 1983.

 

 

 

Adílio era um jogador de rara habilidade e criatividade, dono de um passe perfeito e adepto a um estilo de jogo clássico.

 

 

 

 

 

 

Contudo, também soube ser decisivo em sua carreira, como quando marcou o segundo gol do Flamengo na vitória de 3x0 sobre o Liverpool na final do Mundial de Clubes de 1981, ou quando fez o terceiro gol na vitória de 3x0 sobre o Santos na decisão do Campeonato Brasileiro de 1983.

 

 

 

Ganhou a Bola de Prata da Revista Placar em 1977 e 1978.

 

 


O jogador atuou no Flamengo entre 1975 e 1987, quando teve a oportunidade de vestir a camisa rubro-negra em 616 partidas, o que faz dele o terceiro jogador com maior número de jogos disputados pelo Flamengo.

 

 


O estilo clássico, de rara habilidade, que marcou Adílio, é lembrado até hoje em rodinhas na Gávea.

 

 

 

O meia chegou ao clube com seis anos de idade, e ficou até os 30, sendo titular absoluto do time profissional, de 1977 a 86.

 

 

 

 

É jogador de uma época em que jogava-se mais por amor do que por qualquer outro motivo e, quando os craques se identificavam com um clube, permaneciam nele por quase toda a carreira.

 

 

Jogar no Flamengo foi o maior orgulho da minha vida, derrete-se.

Foto= arquivo www.historiadordofutebol.com.br

 

 

 

Não é para menos: Adílio foi um dos responsáveis pela maioria dos títulos mais importantes do clube, entre eles, três Brasileiros (80, 82 e 83), e a Taça Libertadores e o Mundial, em 81.

 

-Há uma coisa muito importante: foram 24 anos de Flamengo e, só como profissional, conquistei 24 títulos- , orgulha-se.

 

 

 


Desde que chegou ao clube, levado pelo amigo Júlio César "Uri Geller" , outro craque rubro-negro, Adílio usou, em todas as categorias de base, a camisa 10.

 

 

 

 

Quando chegou ao profissional, porém, o número já tinha dono: O Zico era o 10, então, fiquei com a 8.

A minha estréia no profissional foi com a 10, pois eu substituí o Galinho (Zico), que estava machucado , recorda-se.

 

 

 

 


Do supertime do Flamengo da década de 80, do qual ainda fizeram parte Leandro, Andrade, Nunes, Tita, e outros, além da categoria, a união da equipe foi uma marca registrada.

 

 

 

 

 

Quando se vê, hoje em dia, notícias de desunião no time e de guerra de egos entre as estrelas, a saudade daqueles tempos aperta ainda mais.

 

 

 

 


O gol da vingança

O torcedor botafoguense alfinetou durante nove anos o flamenguista por causa da goleada do alvinegro por 6 a 0 sobre o rubro-negro, em 1972.

Mas no dia 8 de novembro de 1981 foi o jogo da vingança.

O Flamengo devolveu o resultado: 6 a 0.

Foto= Jornal dos Sports arquivo de Marcelo Dieguez

 

 

O Flamengo jogou aquela partida com: Leandro, Raul, Mozer, Figueiredo, Andrade e Júnior;

Agachados: Tita, Adílio (depois entrou Chiquinho), Nunes, Zico (depois entrou Baroninho), e Lico.

Foto= arquivo www.historiadordofutebol.com.br

 

 

 

 

 

 

Adílio conquistou muitos títulos:

 

 

 

 

 Títulos:


Campeonato Brasileiro: 1980, 1982 e 1983 
Taça Guanabara: 1978, 1979, 1980, 1981, 1982 e 1984 
Taça Rio: 1983, 1985 e 1986 
Campeonato Estadual RJ: 1978, 1979, 1979(Especial), 81 e 1986
Taça Libertadores da América: 1981 
Mundial Interclubes: 1981 
Troféu Ramón de Carranza: 1980

Marcou 128 gols em 615 partidas pelo Flamengo. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 Abaixo o elenco Campeão da Libertadores e Mundial em 1981

 

 

Adilio depois do Flamengo foi jogar no Coritiba.

Aqui Adilio é figurinha do Coritiba na Copa União de 1987.

Foto= Historiador Luiz Fernando Evaristo.

 

 

 

Abaixo o Coritiba de 1987 e vemos Adílio agachado, sendo o segundo da direita para a esquerda.

Foto= Historiador Luiz Fernando Evaristo.

 

 

 

Adílio também foi Técnico do Flamengo, mas atuou mais tempo na categoria de base. sendo Campeão dos Estaduais de 2005, 2006 e 2007, da Copa Cultura de 2005 e do Torneio OPG de 2006

 

 

 

 

 

Publicado por: Murilo de Paula Dieguez

Fonte de Pesquisa:

futeboldetodosostempos

www.flamengo.com.br

 

 

 

 

 

Marcelo Dieguez conheceu Andrade, Adílio e Júnior em 2004, quando visitou a Gávea.

 

 

Foto: arquivo pessoal de Marcelo Dieguez

 

 

 

E em 2009 Marcelo foi ao Rio de Janeiro novamente, e a convite do amigo Adílio foi prestigiar a Homenagem que Andrade receberia na Câmara dos Vereadores do Município do Rio de Janeiro, pelo HexaCampeonato Brasileiro conquistado pelo Flamengo em 2009.

Aqui Marcelo agradecendo ao convite de Adílio, grande ídolo do Flamengo

Foto=www.historiadordofutebol.com.br

 

 

 

 

 

Aqui Adílio brincando com Júlio César Uri Gueller e Marcelo, dizendo: "Aí Júlio César o Marcelo falou que vinha do Paraná até aqui na homenagem ao Andrade e veio mesmo".

Foto= arquivo www.historiadordofutebol.com.br

 

 

 

 

Adílio recentemente com a Taça de Campeão Mundial do Flamengo, feito este em 1981 quando Adílio foi autor de 1 dos 3 gols no Chocolate 3 x 0 no Liverpool.

 

 

 


Aqui a foto para a posteriadade com o grande ídolo Adílio

Foto=www.historiadordofutebol.com.br

 

 

 Marcelo Dieguez entrevistou Adílio após o treino do FLAMASTER na Gávea em julho de 2015

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Marcelo Dieguez entrevistou Adílio após o treino do FLAMASTER na Gávea em julho de 2015

Abaixo aparecem Marcelo Dieguez e Adílio, outro amigo de longa data, essa é a terceira ocasião que encontrei Adílio, 2004, 2009 e 2015.

 

 

 

"Adílio, você faz parte da história do futebol, e eu seu amigo Marcelo Dieguez, O Historiador não vou deixar sua história ser esquecida".

Um abraço de seu amigo Marcelo de Paula Dieguez.