Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

 

 

DREYER, ex-meio-campo do River Plate-Argentina, Coritiba-PR, Colorado-PR, Londrina-PR, Atlético Paranaense e Centenário-PR.


Eduardo Francisco Dreyer, o Dreyer nasceu em Córdoba, Argentina, no dia 14 de maio de 1948.

Foto: arquivo de Dreyer

 

 


Jogava com facilidade em todas as posições do meio de campo, desarmava bem, tinha bom passe e arrematava com precisão, era um jogador completo.

 

 


Iniciou sua carreira nas camadas inferiores do River Plate, em 1965, aonde aos 18 anos já jogava no time principal.

Foto River Plate 1965, Dreyer está em pé, e é o segundo da direita para a esquerda, não está com uniforme de jogador, ele era suplente nessa época. Ele está atrás de um jogador e do goleiro.

Foto: arquivo de Dreyer

 

 

 

 


Foi campeão da terceira divisão do campeonato argentino pelo River Plate em 1967.

Acima foto de Dreyer com companheiros do River-Plate em concentração antes de um jogo, ele aparece atrás, sendo o segundo da direita para a esquerda.

Foto: arquivo de Dreyer

 

 

 


Foi vice-campeão nacional em 1968; vice-campeão nacional e metropolitano em 1969; e vice-campeão metropolitano em 1970.

 

 

Abaixo matéria de Jornal da Argentina onde aparece Dreyer.

Foto: arquivo de Dreyer

 

 

 

 

Abaixo matéria de Jornal da Argentina onde aparece Dreyer.

Foto: arquivo de Dreyer

 

 

 

 


Foi vendido ao Coritiba em 1972, sendo tetra-campeão paranaense em 1972, 1973, 1974 e 1975.

Aqui o Presidente do Coritiba, Evangelino da Costa Neves, com Dreyer e Cybeira na sua apresentação em 1972.

Foto: arquivo de Dreyer

 

 

 

 

Foto: arquivo de Dreyer

Aqui Dreyer treinando no Coritiba.

 

 

 

 

Aqui Dreyer treinando no Coritiba.

Foto: arquivo de Dreyer

 

 

 

 

Aqui Dreyer treinando no Coritiba.

Foto: arquivo de Dreyer

 

 

 

 

Aqui Dreyer treinando no Coritiba.

Foto: arquivo de Dreyer

 

 

 

 

Aqui Dreyer treinando no Coritiba, com o Técnico Yustrich.

Foto: arquivo de Dreyer

 

 

 

 


Ao retornar invicto de uma excursão internacional, o Coritiba recebeu a Fita Azul, em 1972.

Foto: arquivo de Dreyer

 

 

 

 

Abaixo Dreyer pelo Coritiba jogando contra o Fenerbache da Turquia pelo Torneio Fita Azul

Foto: arquivo de Dreyer

 

 

 

 


Foi campeão do Torneio do Povo, no ano de 1973, pelo Coritiba, competição que reuniu os clubes de maiores torcidas do Brasil.

Aqui novamente o Coritiba de Dreyer que aparece agachado, sendo o quarto da direita para a esquerda.

 

 

 

 

Aqui Dreyer no Coritiba agachado sendo o primeiro da direita para a esquerda.

Foto= www.coritiba.com.br

 

 

 

 

 

Abaixo no Hotel vemos Cláudio Marques, Bráulio e Dreyer.

Foto: arquivo de Dreyer

 

 

 

 

Abaixo vemos Fito, Dirceu e Dreyer.

Foto: arquivo de Dreyer

 

 

 

 

Abaixo vemos os jogadores do Coritiba em frente ao Hotel Beira Mar, onde reconhecemos Zé Roberto em pé de óculos escuro, e Orlando abraçando Dreyer.

Foto: arquivo de Dreyer

 

 

 

 

Abaixo Hélio Pires e Dreyer sentados na poltrona do avião.

Foto: arquivo de Dreyer

 

 

 

 

Abaixo outra foto de dentro do avião, onde reconhecemos Dito Cola na poltrona de trás, bem atrás Orlando e na frente Dreyer e Hélio Alves.

Foto: arquivo de Dreyer

 

 

 

 

Abaixo Dreyer tocando seu violão.

Foto: arquivo de Dreyer

 

 

 

 


Em 19 de dezembro de 1973 Dreyer é convocado para participar de um jogo histórico: o Jogo da Gratidão, na despedida de um dos maiores jogadores de todos os tempos, Mané Garrincha.

Foto: arquivo de Dreyer

 

 

 

 

Abaixo a Medalha de Dreyer do Jogo da Gratidão, na despedida de um dos maiores jogadores de todos os tempos, Mané Garrincha.

Foto: arquivo de Dreyer

 

 

 

 

Abaixo a Medalha de Dreyer do Jogo da Gratidão, na despedida de um dos maiores jogadores de todos os tempos, Mané Garrincha.

Foto: arquivo de Dreyer

 

 

 

 

 

dreyercomlevirculpia

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

dreyercomlevirculpi

 

 

 

 

 

 

 


Em 1976 Dreyer resolve mudar de ares e vende seu passe ao Colorado. 

Aqui Dreyer no Colorado.

Foto: arquivo de Dreyer

 

 

 

 


Ainda em 1976 foi vendido ao Londrina, aonde permaneceu até 1977.

Aqui Dreyer com o Presidente do Londrina Jaci Scaff.

Foto: arquivo de Dreyer

 

 

 

 

Aqui Dreyer com a camisa do Londrina em 1976

Foto: arquivo de Dreyer

 

 

 

 


Coxa-branca de coração, Dreyer cometeu uma grande ousadia em 1977, foi jogar em seu arqui-rival, Atlético Paranaense.

Foto Revista Placar.

 

 

 

 

Esta transação causou um grande choque na época.

Foto anterior ao jogo de entrega de faixas de campeão/1977 da Taça Paraná de Futebol, no Estádio Natal Francisco,  ao time da Demafra, que naquele dia  jogou contra o Clube Atlético Paranaense.

Aqui Dreyer e Aladim pelo Atlético Paranaense em 1977, onde vemos Dreyer em pé, sendo o terceiro da esquerda para a direita, e Aladim está agachado sendo o primeiro da direita para a esquerda.

Foto= joaquimdepaula.com.br

 

 

 

 

 


Dreyer encerrou sua brilhante carreira no Centenário (de Centenário do Sul, no Paraná), no ano de 1979.

Aqui em 1973 Dreyer

Foto: arquivo de Dreyer

 

 

 

 


Depois que abandonou os campos, Dreyer foi treinador, diretor de futebol e hoje vive em Curitiba, aonde gosta de relembrar seus tempos áureos contando suas histórias aos amigos.

 

 

 

Publicado por: Murilo Dieguez


Fonte de Pesquisa:

Historiador Luiz Fernando Evaristo que nos enviou todas as fotos do álbum particular de Dreyer além das informações de sua carreira no futebol,

Entrevista exclusiva com Dreyer em março de 2014.

 

 

 

Marcelo também conversou com Dreyer no ano de 2010, mas na época não foi possível fazer uma entrevista, mas ainda haverá outra oportunidade, pois temos muitos amigos em comum de sua época do Coritiba.

Valeu Dreyer!!

Foto: arquivo de Dreyer

 

 

 

 

 

 

Em Março de 2014 Marcelo Dieguez foi a Curitiba, onde Dreyer concedeu uma entrevista exclusiva e histórica para a posteridade, relembrando fatos e jogadores históricos, e com a participação dos amigos Reginaldo Aracheski e Luiz Fernando Evaristo, no Escritório de Reginaldo que é proprietário do Memorial do Futebol da Lapa.

 

 

 

 

Dreyer concedeu uma entrevista exclusiva e histórica para a posteridade

 

 

 

 

Marcelo Dieguez e Dreyer

 

 

 

 

"Dreyer, você faz parte da história do futebol, e eu Marcelo Dieguez, O Historiador não vou deixar sua história ser esquecida".