Imprimir

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

 

DOLY, ex-goleiro do C.R. Flamengo-RJ, Canto do Rio-RJ, Palmeiras-SP, Figueirense-SC e Clube Atlético Monte Alegre-PR.

Doly Martins, o Doly nasceu no dia 22 de junho de 1925 na cidade do Rio de Janeiro.

Foto=www.historiadordofutebol.com.br

 

 

 

 

Seu nome DOLY MARTINS, foi colocado por um pai de santo do Méier, Bairro do Rio bem no subúrbio ná época a família dele era dessa vertente religiosa.

 

 

 

Jogou no Flamengo, sendo um dos goleiros do time, jogando de 1944 até 1949.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Abaixo defesa de Doly, onde o zagueiro Juvenal do Flamengo já está a espera para ajudar.

 

 

 

 

 

Participou da campanha do Tricampeonato Carioca de 1944, o primeiro do Flamengo.

 

 

 

 

 

 

Abaixo a escalação do Flamengo: Em pé, Vaguinho, Doly, Miguel, Farah, Newton e Jayme; Agachados: Luizinho, Zizinho, Gringo, Jair Rosa Pinto e Vevé. Jogo do dia 06/06/1948 na derrota de 3x1 para o Southampton da Inglaterra, no Estádio São Januário

 

 

 

 

 

 

Abaixo foto do mesmo jogo onde vemos Doly e Miguel do Flamengo, e Scott do Southampton, que fez 1 dos gols ingleses.

 

 

 

 

 

 

seu primeiro jogo no Flamengo foi no dia 08/03/1944 ( Flamengo 2 x 6 Botafogo).

Aqui Doly entre os amigos Vaguinho e Quirino

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Títulos

Flamengo

  • 1944
    • Campeonato Carioca
  • 1946
    • Torneio Início
  • 1948
    • Troféu Cezar Aboud
  • Estatísticas

Ano

Jogos

Gols Marcados

Assistências

Cartões Amarelo

Cartões Vermelho

1944

3

0

-

-

-

1945

10

0

-

-

-

1946

9

0

-

-

-

1947

10

0

-

-

-

1948

16

0

-

-

-

1949

15

0

-

-

-

Total

63

0

-

-

-

 

 

 

 

 

Em junho de 1949 Doly foi para o Palmeiras, mas fez poucos jogos, e conseguimos resgatar 2 fotos dele através do site palestrinos:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em 1950 Doly foi para o Canto do Rio.

 

 

 

No mesmo ano de 1950 foi jogar no Figueirense de Santa Catarina, onde foi brilhante e é considerado um dos maiores goleiros do Figueirense.

Aqui Doly é a figurinha Número 1 do Figueirense-SC no Álbum de Figurinhas do Campeonato Catarinense de 1950.

Foto= www.historiadordofutebol.com.br

 

 

 

 

 

 

 

Aqui Doly é a figurinha Número 1 do Figueirense-SC no Álbum de Figurinhas do Campeonato Catarinense de 1950, onde também vemos todos os outros jogadores: 2-Chinez, 3-Garcia, 4-Romeu, 5-Enguiça (que veio do Fluminense), 6-Geraldo, 7-Morace, 8-Betinho, 9- Bráulio, 10-Gil e 11- Meirelles.

Arquivo enviado pelos meus amigos Historiadores: Luiz Fernando Evaristo e Rogério Michailev.

Foto= www.historiadordofutebol.com.br

 

 

 

 

 

CAMPEONATO CITADINO DE 1950


Com a aquisição de Doly, Chinês, Romeu, Geraldo, Bráulio e Gil o Figueirense conseguiu armar uma grande equipe, e, assim, conquistar de forma invicta o certame Citadino de 1950, depois de nove anos sem este título.


JOGOS REALIZADOS


Figueirense 5x0 Paula Ramos
Figueirense WO Atlético
Figueirense 2x0 Guarani
Figueirense 2x1 Avaí
Figueirense WO Bocaiúva
Figueirense 4x1 Paula Ramos
Figueirense 6x1 Atlético
Figueirense 4x0 Guarani


Figueirense 1x0 Avaí (19/11/1950)
Local: Estádio Adolfo Konder, em Florianópolis-SC
Gol: Geraldo
Juiz: Manoel Machado (SC)
Obs.: Com esse resultado o Figueirense sagrou-se campeão invicto da Cidade em 1950.


Figueirense WO Bocaiúva
Time do Figueirense: Doly, Chinês e Marcos; Romeu, Bráulio e Geraldo; Moraci, Nede, Urubú, Gil e Meirelles (Osman).


Técnicos: Zinder Lins; depois Carlos da Costa Dantas.


Principais Goleadores:
Bráulio = 5 gols
Gil = 4 gols
Meirelles = 4 gols
Nede = 4 gols
Urubú = 3 gols
Osman = 2 gols
Geraldo = 1 gol


Campeão: Figueirense
Vice-campeão: Avaí

Títulos de Doly com o Figueirense

1950


Vice-campeão Catarinense
Campeão Citadino
Campeão do Torneio Início de Florianópolis
Taça Prefeito Adalberto Tolentino de Carvalho
Troféu Coronel Antônio de Lara Ribas
Taça Tenente Coronel Paulo Gonçalves Weber Vieira da Rosa
Taça Dr. Gaston Ernest Roussel


1951
Vice-campeão Citadino
Campeão do Torneio Início de Florianópolis
Troféu Governador Aderbal Ramos da Silva
Troféu Café do Comércio de Itajaí-SC
Taça Dia do Trabalho
Vice-campeão do Torneio Noturno
Campeonato Catarinense: *

 

 

Também teve uma história muito engraçada de Doly: No ano de 1951 em Clássico Figueirense x Avaí, Doly sai correndo do gol meio desengonçado em direção ao árbitro e cochicha no seu ouvido.

 

Pega um pedaço de jornal junto as arquibancadas e deixa o campo com uma das mãos na barriga.

 

Doly permanece fora uns 8 minutos.

 

Jogo paralisado.

 

Volta depois aliviado e acena para o árbitro e a partida recomeça.

 

Foi uma dor de barriga tremenda.

 

Em 1952 Doly vai jogar no Clube Atlético Monte Alegre no Paraná, o CAMA da cidade de Telêmaco Borba.

Aqui Doly com a camisa do CAMA em 1952

Foto= www.historiadordofutebol.com.br

 

 

 

 

 

Abaixo amistoso do CAMA contra o Operário Ferroviário de Ponta Grossa no dia 18 de maio de 1952, realizado em Telêmaco Borba, onde o CAMA aplicou uma goleada de 8 x 1. Gols: Ramon (2), Taíco (2), Nestor (2), Paulista e o Oacir (penal), e Duílio descontou para o Operário.

Foto= www.historiadordofutebol.com.br

 

 

 

 

 

 

 

Foto= www.historiadordofutebol.com.br

 

 

 

 

 

 

Doly jogou somente 1 ano no CAMA, mas terminaram o Campeonato Paranaense em quarto lugar, sendo o primeiro colocado do interior.

Foto= www.historiadordofutebol.com.br

 

 

 

 

 

Seu primeiro jogo foi no dia 06 de abril de 1952, em amistoso em uma goleada de 10 x 1 contra o Irati E.C, e seu último jogo foi no mês de novembro, 1 jogo após esta última goleada de 5 x 1 contra o Caxias de Ponta Grossa que aparece na foto acima.

 

Também participou de Excursão Invicta em Santa Catarina em setembro, onde venceram o primeiro jogo contra o C.A. Catarinense que eram Campeões Estaduais por 4 x 1.

 

E nesta mesma Excursão empataram sem gols contra a forte equipe do Avaí.

Foto= www.historiadordofutebol.com.br

 

 

 

 

 


Clubes: Flamengo-RJ (1944 a 1949), Canto do Rio-RJ (1950), Figueirense-SC (1950 e 1951) e Clube Atlético Monte Alegre-PR (1952).

 

 

 

Foto= www.historiadordofutebol.com.br

 

 

 

 

 

 

 

Vejam abaixo fotos e informações enviadas pela filha de Doly Martins, nossa amiga Simone Ramos Martins:

 

 

 

 

Simone contando como seu pai conheceu sua mãe:

 

Ele conheceu minha mãe quando foi jogar no Chile, no lugar do Luiz Borracha, acabou se apaixonando com razão pois até hoje minha mãe apesar da idade (88 anos com muita diposição) continua bonita e super bem e lúcida, ela mora atualmente no Chile, voltou para terra da familia pois nossa familia lá é bem grande e lá ela está mais protegida e bem cuidada. só a morte dele os separou.

 

Aqui Doly Martins e sua esposa, a chilena Juanita Ramos de Martins.

 

 

 

 

 

 

 

Aqui Doly e a filha Simone

 

 

 

 

Aqui Doly, a esposa Juanita e sua filha Simone com 16 anos na Tijuca.

 

 

 

 

Doly foi internado para tratamento com um câncer no intestino, abaixo ele com a equipe do Hospital.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Abaixo Doly com a filha Simone.

 

 

 

 

 

Porém Doly não resistiu faleceu em 04/01/1998 vítima de um câncer no intestino.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Aqui a foto da primeira calçada da fama do Flamengo na Gávea, onde Homenagearam o Time TriCampeão de 1944, apesar de terem colocado o nome de Doly incorretamente, Dolly.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Publicado por: Murilo Dieguez

Fonte de pesquisa:

fotos e informações da filha de Doly Martins: Simone Ramos Martins;

www.flamengo.com.br;

ntjovem.blogspot.com;

terceirotempo.ig.com.br;

Livro da História do Futebol MonteAlegrense do Historiador José Cação Ribeiro Junior;

blogdorobertoluizdossantosvieira.blogspot.com;

www.palestrinos.com.br

 

 

 

 

Aqui Enguiça e Doly no Fla-Flu

Foto=terceirotempo.ig.com.br   

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

"Doly, você faz parte da história do futebol, e eu Marcelo Dieguez, O Historiador não vou deixar sua história ser esquecida".