Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

 

DARIVA, ex-meia-esquerda do Pato Branco E.C, Operário de Ponta Grossa-PR, Corumbaense-MS, Gremio de Goioerê-PR, Mineiros de Goiás, Grêmio Pratense, Iguaçu de União da Vitória-PR, Coronel Vivida-PR, E.C. Comercial de Cornélio Procópio-PR, União de Vera-MT, União de Francisco Beltrão-PR, Novo Horizonte-GO, CandidoMotense-SP, Tupã-SP, Esportiva de Osvaldo Cruz-SP, Caramuru de Castro-PR.

José Luis Dariva, o Dariva nasceu no dia 04/01/1961 na cidade de Herval do Oeste em Santa Catarina.

Aqui Dariva no Pato Branco-PR.

 

 

 

 

 

 

 

E à direita Dariva em 2010 em Pato Branco onde é um dos técnicos da Escolinha de Futebol da Baixada.

 

 

 

 

 

 

Iniciou sua carreira no futebol com 18 anos, como meia-esquerda do Pato Branco em 1978, treinou 6 meses nos juniores e logo conseguiu entrar no time titular.

 

 

 

 

 

 

 

 

E sua estréia no profissional foi contra o Umuarama em uma quinta-feira à noite no ano de 1980, onde jogou com Adilton que havia jogado no Fortaleza, e o amigo Dito Cola disse a ele "Dariva joga bola do jeito que sabe, que eu marco o adversário".

 

 

 

 

 

 

 

 

Jogou a primeira em 1980 e na Segundona de 1981 foram Campeões.

 

 

 

 

 

darivapatobranco1980

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Campeão Paranaense da Segunda Divisão pelo Pato Branco em 1981

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Abaixo outra foto do Pato Branco Campeão de 1981.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em 1982 estava no Operário de Ponta Grossa disputando a Primeira Divisão do Paranaense, onde lembra de ter feito 2 gols.

 

 

 

 

 

Em 1984 estava no Corumbaense do Mato Grosso onde foi Campeão da Primeira Divisão.

 

 

Aqui com a equipe do Corumbaense do Mato Grosso, onde foi Campeão MatoGrossense.

Dariva é o segundo agachado da direita para a esquerda.

 

 

 

 

 

 

 

Depois foi jogar ainda em 1984 no Corínthians de Presidente Prudente

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em 1985 jogou no BREC de Presidente Epitácio-SP.

Abaixo Gersinho e Dariva

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em 1985 jogou na Esportiva.

 

 

 

 

Em 1986 chegou a treinar no Bragantino, porém não deu certo.

 

 

 

 

 

Ainda em 1986 jogou no Palmital-SP.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Osvaldo Cruz-SP

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em 1987 foi jogar no Ranchariense-SP

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em 1988 jogou no Tupã.

 

 

 

 

 

 

Ainda em 1988 jogou no Águia Negra.

 

 

 

 

Em 1989 jogou no Cândido Motense.

 

 

 

 

E depois ainda em 1989 foi para o Goioerê.

 

 

 

Aqui Dariva entrando em campo com a braçadeira de capitão do Grêmio de Goioerê.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em seguida ainda em 1989 seguiu para o Mineiros de Goiás jogar o Campeonato Goiano.

 

Aqui Dariva concedendo entrevista após jogo do Campeonato Goiano.

 

 

 

 

 

 

Dariva entrando em campo no Campeonato Goiano.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em 1990 continuou em Goiás, agora jogando pelo Novo Horizonte.

Novo Horizonte

 

 

 

 

 

 

Goioerê

E no final de 1990 voltou para o Goioerê onde foi Campeão da Segunda Divisão do Paranaense.

 

 

Aqui em 2 fotos quando jogou no Grêmio de Goioerê no Paraná, onde foi Campeão Paranaense da Segunda Divisão, como vemos o Troféu e a Faixa de Campeão em 1990.

 

 

 

 

 

Aqui a foto com toda equipe do Grêmio de Goioerê Campeões de 1990 do Paranaense da Segunda Divisão.

Dariva é o quinto agachado da esquerda para a direita.

 

 

 

 

 

Goioerê onde foi Campeão da Segunda Divisão do Paranaense.

 

 

 

 

 

Abaixo Dariva e Salomão

 

 

 

 

 

Em 1991 estava no União de Francisco Beltrão.

 

 

 

 

 

Em 1991 foi jogar no Caramuru de Castro-PR, onde atuou até o ano de 1992.

Aqui Dariva no Caramuru de Castro.

 

 

 

 

 

 

Em 1992 jogou pelo Esporte Clube Comercial de Cornélio Procópio na Primeira Divisão.

Abaixo o Comercial de 1992 onde vemos Dariva em pé, sendo o terceiro da esquerda para a direita, neste jogo ele faria o gol de empate contra o Paraná Clube de Adoílson, autor do gol do Paraná Clube.

 

 

 

 

 

Abaixo o Comercial de 1992 onde vemos Dariva com a camisa número 5 comemorando seu gol cotra o Paraná Clube.

 

 

 

 

 

 

Abaixo o Comercial de 1992 onde vemos Dariva no Jornal Folha de Londrina no jogo contra o Londrina Esporte Clube, e Dariva foi destaque do jogo.

 

 

 

 

 

Abaixo o Comercial de 1992 onde vemos Dariva no jogo contra o Londrina no VGD.

 

 

 

 

 

 

E no mesmo ano de 1992 disputou a segundona pelo Caramuru de Castro.

 

 

 

 

Também jogou em 1992 na Medianeirense.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em 1993 jogou no Grêmio Pratense do Rio Grande do Sul.

 

 

 

 

 

 

 

Em 1993 jogou no Iguaçu de União da Vitória.

 

 

 

 

 

 

 

 

Em 1994 jogou no União de Vera-MT.

 

 

 

 

 

 

Abaixo em Cuiabá no jogo contra o Mixto.

 

 

 

 

Em 1995 jogou pelo Coronel Vivida do Paraná, onde com 35 anos encerrou sua carreira devido a uma artrose no quadril que não deixou prosseguir sua carreira.

 

 

 

 

 

 

 

 

Aqui Marcelo Dieguez e Dariva em Pato Branco após entrevista histórica

 

 

 

E aqui com a comissão técnica da Escolinha da Baixada de Pato Branco:Valtenir (preparador físico), Sérgio (preparador de goleiros), Marcelo Dieguez e Dariva.

 

Aqui outra foto da comissão técnica da Escolinha da Baixada de Pato Branco.

 

 

 

 

 

 

 

Dariva foi um jogador técnico com visão de jogo e que lançava as bolas para os atacantes fazerem os gols, e em quase todos os times era capitão.

 

 

Lembra que em 1990 no Goioerê, havia chegado o Polozi que já havia jogado na Seleção e Dariva passou a braçadeira de capitão para ele, pois o importante era jogar e foram Campeões juntos.

 

 

Seu ídolo no futebol era o Falcão.

 

 

 

 

TÍTULOS

 

 

Campeão da Segunda Divisão do Paranaense em 1981 pelo Pato Branco;

Campeão da Primeira Divisão do Matogrossense em 1984 pelo Corumbaense;

Campeão da Segunda Divisão do Paranaense em 1990 pelo Goioerê;

E em sua estréia no Mineiros de Goiás contra o Atlético Goianiense, Dariva foi considerado o melhor jogador em campo, mesmo perdendo o jogo.

E nos anos seguintes ganhou mais 2 troféus de melhor jogador em campo.

 

 

 

Conta que fez 54 gols na carreira.

 

E conta que fez um golaço na primeira partida da final pelo Goioerê em 1990 contra o time de Laranjeiras, onde recebeu um cruzamento da linha de fundo e matou a bola chapelando o adversário e fazendo uma pintura de gol batendo de chapa a bola, sendo gravado em fita cassete pela rádio e que recebeu como presente pelo narrador depois.

 

Outro gol conta que fez contra o XV de Jaú em sua época de Bragantino, em que antecipou a zaga e deu uma cabeçada de frente.

 

Em 1992 pelo Esporte Clube Comercial de Cornélio Procópio, aos 34 minutos do segundo tempo empatou o jogo contra o Paraná Clube, em que Adoílson havia feito para o Paraná.

 

Trabalhou com técnicos, como: Celso Azevedo, Lori Sandri, Marino no Caramuru de Castro.

 

Hoje Dariva é técnico de uma Escolinha de Futebol em Pato Branco.

 

A Escolinha da Baixada, em que já está lá há 2 anos, o preparador de goleiros Sérgio e o preparador físico Valtenir, e o Presidente da Escolinha é o Sr. Luis.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Dariva recebeu o amigo Marcelo Dieguez para uma entrevista exclusiva e histórica, onde contou a história de sua carreira.

 

 

 

 

Vejam abaixo a entrevista de Dariva

 

 

 

 

 

 

 

Publicado por: Murilo Dieguez

Fonte de Pesquisa:

Entrevista exclusiva de Dariva a Marcelo Dieguez em 2010,

arquivo pessoal de Dariva

 

 

 

 

 

 

 

 

Marcelo Dieguez e o amigo Dariva com os quadros e suas camisas e faixas de Campeão.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

"Dariva, você faz parte da história do futebol, e eu seu amigo Marcelo Dieguez, O Historiador, não vou deixar sua história ser esquecida".

Um abraço do amigo Marcelo Dieguez.